Terror e crítica social fazem parte da Festa Literária de Bragança

Palestra do escritor Andrei Simões debateu 'Literatura de fantasia e horror feita no Pará'

07/12/2019 09h05 - Atualizada em 07/12/2019 11h53
Por Úrsula Pereira (SECULT)

Arena Multivozes lotada no Liceu da Música em BragançaO terceiro dia da Festa Literária de Bragança fez ecoar no Liceu da Música de Bragança as vozes do imaginário. Palco para diversos talentosos autores, o evento destacou, na sexta-feira (6), a mistura de fantasia e realidade com a palestra “Literatura de fantasia e horror feita no Pará”, ministrada por Andrei Simões.

Andrei Simões é escritor, biólogo, mestre em comportamento e professor universitário. É autor, organizador e escritor-participante da Feira Literária do Pará (FliPA), desde 2014, além de um dos palestrantes do 1° Congresso de Literatura e Leitores Fantásticos (Conallfan), congresso online realizado em 2014, entre outros.

“Gosto de criar criaturas novas, novas histórias, mas busco desmistificar esse clichê de sempre falar da Matinta da mesma forma, por exemplo. Existem questões sociais muito importantes hoje que envolvem direitos e representatividade e tento colocar isso nas minhas histórias. Precisamos respeitar o que passou, entender o contexto de lendas do nosso folclore, mas eu prefiro acreditar na nossa mitologia, que para alguns parece ser algo mais sério”, explicou Andrei.

O estudante Leandro de Souza descobriu durante a palestra sua vocação profissional. “Foi uma experiência incrível estar com Andrei nesta tarde. Ele falou sobre criar um universo que estimula o medo, mas que também mistura terror e críticas à sociedade moderna, tudo o que eu quero fazer da minha carreira como escritor”, definiu.

A Festa Literária de Bragança é uma realização do Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (Secult), em parceria com a Associação Sociocultural e Recreativa de Bragança (Ascubra) e apoio da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), Fundação Cultural do Pará, Universidade Federal do Pará (UFPA - Campus Bragança) e Universidade do Estado do Pará (Uepa), por meio do Liceu de Música de Bragança, integrando as políticas públicas de fomento ao livro, à leitura e à difusão das linguagens e expressões culturais e artísticas.

Programação deste sábado (7) – Vozes Indígenas e Vozes da Mulher:

Arena Multivozes

10h – Encontro dDe Cordelistas

Sarau de Cordel e lançamento do livro "I Antologia Cordéis do Norte" (Belém/PA)

16h – Palestra

Tema: "A mulher indígena e o bem viver"

Convidada: Márcia Kambeba (Castanhal/PA)

Mediação: Larissa Fontinele (UFPA/Seduc - Bragança/PA)

18h – Roda de Conversa

Tema: "Literatura feita por mulheres no Pará"

Convidadas: Carol Pabiq (Belém/PA)

Mediação: Everton Luís Teixeira (UFPA - Bragança/PA)

19h30 – Encontro Literário

Convidada: Cristina Serra (Rio do Janeiro/RJ)

Mediação: Everton Luís Teixeira (UFPA - Bragança/PA)

21h – Programação Cultural

Alex Ribeiro (Bragança/PA)

Serviço:

A Festa Literária de Bragança é parte da 23ª Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes, uma ação do Governo do Pará, por meio da Secretaria de Cultura (Secult) e acontece até este domingo (8), de 10 às 22h, no Liceu da Música de Bragança. A entrada é franca.