Em Brasília, Governo discute cronograma das obras da Ferrovia Pará

03/12/2019 18h49 - Atualizada em 03/12/2019 19h32
Por Carol Menezes (SECOM)

Na extensa agenda de trabalho cumprida nesta terça-feira (3) em Brasília (DF), o governador Helder Barbalho se reuniu com representantes da China Communication Construction Company (CCCCSA), controladora da brasileira Concremat, para tratar sobre o cronograma das obras da Ferrovia Pará e do polo metal-mecânico em Marabá, no sudeste paraense. Segundo o chefe do Executivo, a prioridade do encontro foi garantir que o trajeto da ferrovia não provoque conflito com nenhuma área já ocupada.

O governador Helder Barbalho se reuniu com representantes da China Communication Construction Company, controladora da brasileira Concremat

Acompanhando do ex-ministro do Planejamento Dyogo Oliveira, e do secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia, Iran Lima, Helder Barbalho reforçou que a ênfase do projeto é assegurar a vazão para o transporte de grãos, que é o perfil e a vocação da região. "Atualizamos o traçado da ferrovia, com a preocupação de que não haja qualquer tipo de conflito com áreas quilombolas e de assentamento", destacou o governador.

"Asseguramos atender o projeto de bauxita em Rondon do Pará, Dom Eliseu e Paragominas, e olhando para as atividades de minério. As coisas estão avançando bem", confirmou Helder Barbalho.

Investimento internacional - No último dia 12 de novembro, o governo do Estado e a CCCCSA firmaram um protocolo de intenções para estudos de viabilidade econômica de implantação e exploração do projeto da Ferrovia Pará, entre os municípios de Marabá e Barcarena, no valor de R$ 7 bilhões.

A malha ferroviária proposta interligará o porto de Vila do Conde, em Barcarena, no nordeste do Estado, a municípios do sudeste paraense, como Marabá e Parauapebas, e de lá até Açailândia, no Maranhão, com a Ferrovia Norte-Sul.Helder Barbalho (d) disse que já foi atualizado o traçado da ferrovia, para não haver conflito com áreas quilombolas e de assentamentos

Trata-se de um dos mais importantes projetos estruturais e de desenvolvimento do Norte do Brasil, e o maior investimento internacional em andamento no País, e que, ao mesmo tempo, reforça os laços do Pará com a China. O protocolo vai orientar futura negociação e assinatura de convênios, acordos e outros termos que possam ajustar as necessidades do novo corredor ferroviário.