Terminal Hidroviário de Terra Santa muda a vida da população

Cerca de 8 mil pessoas passam por mês pelo local

21/11/2019 11h02 - Atualizada em 21/11/2019 12h17
Por Bruno Magno (CPH)

Inaugurado em junho deste ano pelo Governo do Estado por meio da Companhia de Portos e Hidrovias do Pará (CPH), o Terminal Hidroviário de Passageiros e Cargas de Terra Santa, no Baixo Amazonas, potencializa o desenvolvimento econômico da cidade. Mais de 18 mil moradores do município foram beneficiados pelo espaço, que recebe cerca de oito mil passageiros ao mês.

Segundo a Prefeitura de Terra Santa, responsável pela administração do terminal, o espaço recebe cerca de oito mil usuários por mês e, em média, 400 por dia. Os passageiros fazem embarques e desembarques para as cidades de Santarém, Faro, Juruti e Oriximiná, no Pará, e Nhamundá, Manaus e Parintins, no Estado do Amazonas. Atualmente duas empresas estão autorizadas a oferecer as viagens. Além disso, o novo espaço também proporcionou a criação de 14 empregos diretos e dezenas de empregos indiretos ao redor do terminal.

O taxista Marcílio Cavalcante trabalha em um ponto de táxi na frente do terminal e conta que o espaço mudou a rotina da cidade e movimentou a economia local. "Para nós que trabalhamos com transporte de passageiros melhorou muito devido ao grande fluxo de passageiros e mercadorias, minhas corridas dobraram. Fora que o terminal também virou ponto turístico. As pessoas vem para cá conferir a beleza do Lago Algodoal e isso mudou a rotina da cidade", conta ele, que mora há quatro anos no município.

"Nós temos recebido muitos elogios dos moradores de Terra Santa e de municípios vizinhos, relatando como mudou a vida da população após a entrega do terminal. Isso é muito satisfatório e reforça o compromisso do governador Helder Barbalho em proporcionar segurança, conforto e dignidade para os usuários que dependem do modal hidroviário". Abraão Benassuly, presidente da CPH.

Localizado às margens do Lago Algodoal, o Terminal Hidroviário de Terra Santa tem 744 metros quadrados de área total, entre obras civil e naval. O espaço compreende um terminal de cargas, sala de embarque com cadeiras confortáveis, carrinhos para bagagem, televisão, bebedouro, guichês para vendas de passagens, banheiros masculino, feminino e para portadores de necessidades especiais. O espaço foi construído de acordo com os padrões estabelecidos pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq).

No próximo mês, a CPH deve entregar os terminais hidroviários dos municípios de Limoeiro do Ajuru, Baixo Tocantins, e Prainha, no Baixo Amazonas.