Santa Casa capacita profissionais de Unidades Básicas no cuidado de prematuros

13/11/2019 17h22 - Atualizada em 13/11/2019 22h02
Por Etiene Andrade (SANTA CASA)

Referência no Método Canguru, a Santa Casa do Pará vem, desde 2015, capacitando profissionais de saúde das unidades Básicas da Região Metropolitana de Belém e de outros municípios na prestação de atendimento aos bebês que recebem alta hospitalar, mas precisam de acompanhamento de acordo com as recomendações do método, até alcançarem 2,5 quilos. O ganho de peso adequado para os recém- nascidos está diretamente relacionado à boa saúde e ao desenvolvimento dos bebês.

Nos dias 12 e 13 (terça e quarta-feira), mais um grupo de 50 profissionais das Unidades Básicas de Belém foram capacitados pela equipe da Santa Casa. Segundo a neonatologista Vilma Hutim, tutora do Método Canguru e coordenadora da capacitação, foi repassada orientação sobre Cuidado Compartilhado, etapa essencial que aproxima a assistência dos pacientes.

A neonatologista Vilma Hutim (e) repassou aos funcionários das Unidades Básicas orientação sobre Cuidado Compartilhado“Esse treinamento vai possibilitar que o bebê prematuro, de baixo peso, que recebe alta da Santa Casa, possa ser acompanhado na Unidade Básica de Saúde do próprio bairro em que mora, tudo de acordo com as recomendações do Método Canguru, que determina que esse bebê tenha um acompanhamento especializado e frequente, facilitando o acesso da família”, explicou a neonatologista.

Cuidados - O acompanhamento é feito três vezes por semana, logo após a alta; duas vezes na segunda semana e uma vez na terceira semana, até completar dois quilos e meio. “Todo esse cuidado é porque esses bebês têm mais dificuldade pra mamar, pra respirar, e as famílias saem orientadas da maternidade, mas precisam manter esse acompanhamento”, complementou Vilma Hutim.

Para a enfermeira Ana Paula França, que atua na Unidade Básica do Tapanã, a capacitação no “Método Canguru Compartilhado” para profissionais das Unidades de Saúde vai garantir que a qualidade da assistência nas duas primeiras etapas, realizadas pela Santa Casa, tenha seguimento nas Unidades de Saúde com qualidade. “A capacitação nos ajuda a melhor acolher essa família egressa da maternidade. Nós estamos aqui recebendo essa orientação e vamos compartilhar com todos os profissionais que atuam na Unidade, para que estejamos de portas abertas e bem preparados para o atendimento”, disse a enfermeira.

Preconizado pelo Ministério da Saúde como o método mais adequado de atenção aos recém-nascidos prematuros ou de baixo peso, o Método Canguru é fundamentado no contato pele a pele entre mãe, pai e bebê, e ainda nos cuidados com alimentação, estímulo e proteção.

As três etapas definidas no Manual Técnico do Método Canguru, disponibilizado pelo Ministério da Saúde:

1ª Etapa - Começa no pré-natal, seguido de internação do recém-nascido de baixo peso na Unidade Neonatal (Unidade de Tratamento Intensivo - UTI Neonatal e Unidade de Cuidados Intermediários - UCI);

2ª Etapa - O bebê tem sua permanência contínua com a mãe na Enfermaria Canguru, para que os cuidados com o recém-nascido tenham maior participação materna;

3ª Etapa – Começa com a alta hospitalar e exige acompanhamento ambulatorial criterioso do bebê e da família. O Método Canguru, desde a primeira fase, é realizado por uma equipe multidisciplinar, capacitada na metodologia de atenção humanizada ao recém-nascido de baixo peso.