Pautas


Sespa promove oficina sobre o Pacto para Redução da Mortalidade Materna no Pará

Por Mozart Lira (SESPA)
Abertura: 03/12/2019 08h00
Encerramento: 05/12/2019 08h00
Local: Belém Hall Eventos
Endereço: Rua Antônio Barreto, 1176, Umarizal
Contatos: Caroline Rocha (Ascom Sespa): (91) 9 9283-5337

A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) lançou, em setembro deste ano, o Pacto pela Redução da Mortalidade Materna nos 144 municípios paraenses. Em 2017, o Estado do Pará alcançou o índice de 88,30 óbitos maternos por 100 mil nascidos vivos, observando que o aceitável pela Organização Mundial de Saúde (OMS) é de até 35 mortes de mulheres nessa condição, por 100 mil nascimentos.

A adesão maciça dos municípios (143 aderiram) é a primeira vitória da estratégia que pode salvar mais de 70 mulheres por ano no Estado. A primeira ação do Pacto será a realização de Oficinas da Estratégia Zero Morte Materna por Hemorragia, tendo em vista a relevância para o cenário atual do Pará. Estas oficinas ocorrerão ao longo de 2020 em todo o Estado.

Para a elaboração das estratégias do Pacto, o Governo assinou um Termo de Compromisso com a OPAS (Organização Pan-Americana de Saúde), Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde. Estas estratégias compreendem cinco componentes: gestão, assistência ao pré-natal, ao parto, ao planejamento sexual e reprodutivo e investigação do óbito.

A primeira acontecerá em Belém, de 03 a 05 de dezembro. Entre os palestrantes estão: Dra. Suzanne Serruya, Diretora do Centro Latino-Americano de Perinatologia, Saúde da Mulher e Saúde Reprodutiva (CLAP/SMR/OPAS/OMS); Dra. Socorro Gross, representante da OPAS/OMS no Brasil e a Dra. Haydée Padilla, Coordenadora de Família, Gênero e Curso de Vida da Representação da OPAS/OMS no Brasil e o próprio Secretário de Estado da Saúde, Dr. Alberto Beltrame.

Para esta oficina, a Sespa conta com a presença de consultores e representantes de organismos internacionais como OPAS, OMS e MS, técnicos capacitados dentro dos parâmetros específicos para o combate e a erradicação de morte materna por hemorragia, com a finalidade de capacitar, por meio de treinamentos com simulação realística, os médicos e enfermeiros que atuam nas maternidades, SAMU e hospitais gerais dos municípios com os maiores índices de mortalidade.