Polícia Civil faz transmissão de cargo na direção da Acadepol

19/01/2015 19h36
Por Redação - Agência PA (SECOM)

A Polícia Civil fez nesta segunda-feira, 19, no auditório do Instituto de Ensino Superior do Pará (Iesp), em Marituba, região metropolitana de Belém, a solenidade de transmissão da direção da Academia da Polícia Civil (Acadepol). A delegada Marlise Modesto Tourão passa a assumir a Acadepol, unidade responsável pela formação, qualificação e aperfeiçoamento dos policiais civis.

Ela substitui a delegada Liane Maria Lima Martins, que assume nesta terça-feira, 20, a direção da Corregedoria Geral da Polícia Civil do Pará. O evento contou com as presenças do delegado geral, Rilmar Firmino; da delegada geral adjunta, Christiane Ferreira, e do diretor de Polícia Comunitária, coronel Emilio Ferreira, ex-diretor do Iesp, além de diversos policiais civis e servidores públicos do instituto.

O evento foi marcado ainda por uma prestação de contas de dois anos e quatro meses da delegada Liane Martins à frente da Acadepol. Ela lembrou que, em setembro de 2012, quando entrou no cargo, a principal incumbência era dar seguimento ao concurso público, que estava em andamento e que foi concluído com a formatura de 396 policiais civis – 154 delegados, 133 investigadores, 90 escrivães e 19 papiloscopistas, o que possibilitou a lotação de novos policiais civis em todos os municípios do interior do Pará, inclusive, naqueles onde não havia a presença da Polícia Civil.

O concurso proporcionou a lotação de delegados em cada um dos municípios paraenses, considerado um marco na história do Pará, pois foi a primeira vez que cada cidade do Estado passou a contar com um delegado. Quanto aos cursos de capacitação, a Acadepol capacitou, em mais de dois anos, 1.059 profissionais da área de segurança pública, a maioria deles (832) é policial civil e os demais 227 são policiais militares, bombeiros militares, peritos criminais e guardas municipais de Belém. No período, dezenas de cursos e seminários foram promovidos, visando a qualificação e capacitação dos profissionais da segurança pública.

Entre eles foram formadas sete turmas, com um total de 172 capacitados, no Curso de Identificador para servidores públicos municipais que trabalham em prefeituras conveniadas com a Polícia Civil para prestar o serviço de emissão de carteiras de identidade; 118 capacitados no Curso de Capacitação da DPA (Divisão de Polícia Administrativa) e Meio-Ambiente; 97 capacitados no Curso de SISP WEB para policiais militares; curso de Direito Digital; Curso de Manuseio e Habilitação para Uso de Pistola Taurus ponto40; Curso de Sistema Sisp Web 2.0; Curso de Formação de Instrutores de Armamento, com 11 formados; Curso de Treinamento Básico para Magistrados, entre outros.

A delegada Marlise Tourão se disse lisonjeada com a escolha de nome para o cargo e, ao mesmo tempo, ciente da grande responsabilidade. "Queremos trabalhar por uma polícia cada vez mais próxima do cidadão", salienta, ao ressaltar que o trabalho será feito em total consonância com as orientações do delegado-geral. Para Rilmar Firmino, a delegada irá assumir a Acadepol em um novo momento, em que o Iesp passa ao status de Instituto de Ensino Superior e ainda para preparar o novo concurso público da Polícia Civil.

"Até o fim do primeiro semestre deverá ser realizada a prova para 650 vagas e até início do próximo ano deverá iniciar o curso de formação na academia", detalha. Com cerimônia presidida pela capelã Fátima Andrade, o evento contou com a bênção do pastor Eduardo Nazareno, da Igreja do Evangelho Quadrangular e, por fim, o descerramento da faixa com a foto da delegada Liane Martins na galeria de ex-diretores da Acadepol.

Histórico – A delegada Marlise Modesto Tourão é graduada em Direito pela Universidade Federal do Pará (UFPA) e pela Universidade de Taubaté, em São Paulo; e pós-graduada em Direito Penal e Processo Penal pela Universidade Estácio de Sá, no Rio de Janeiro. Ingressou na Polícia Civil, em 1985, via concurso público. É formada nos cursos de Escola Superior de Guerra (ESG); Técnica de Ensino Policial pela Universidade do Estado do Pará (Uepa); Criminologia pela Consulex da Universidade de Paris, na França, e pela Prefeitura de Miami, nos Estados Unidos; Curso de Magistratura pela Escola Superior da Magistratura do Estado do Pará, e Curso Superior de Polícia (CSP) pelo Instituto de Ensino de Segurança do Pará. 

Em 29 anos de carreira policial, a delegada foi a responsável em fundar as primeiras Delegacias da Mulher do Estado do Pará, nas cidades de Belém, Santarém e Marabá, entre os anos de 1986 e 1992. Foi a primeira diretora da Delegacia da Mulher de Belém. Foi a primeira mulher a assumir a direção de uma Superintendência Regional da Polícia Civil no interior do Pará, a do Baixo e Médio Amazonas, sediada em Santarém, responsável por 15 municípios no oeste do Estado, entre 1993 e 1994. A delegada atuou como representante da Academia da Polícia Civil em Santarém, onde coordenou o primeiro concurso público na região, formando 80 policiais civis, em 1994. Na capital, trabalhou na antiga Delegacia do Telégrafo e Seccionais da Pedreira e Marambaia. Atualmente, é membro do Conselho Superior da Polícia Civil do Pará (Consup).

Fora da Polícia Civil, foi consultora jurídica de Tributos da Prefeitura de Santarém, de 1994 a 1997. Atuou ainda no cargo de coordenadora do Núcleo Regional de Justiça de Santarém, representando a então Secretaria de Justiça naquele município, onde instalou os projetos Cidadania, Quilombola e Teste de DNA Gratuito, dentre outros. Implantou a 1ª Unidade Regional de Trânsito do Detran Pará, sediada em Santarém, onde foi diretora de 2004 a 2006. Foi também coordenadora do complexo penitenciário "Sílvio Hall de Moura", em Santarém, e diretora jurídica da Associação dos Delegados de Polícia Civil do Pará (Adepol).