Operação Lei Seca continua até a madrugada de domingo em 38 pontos da RMB

24/01/2015 13h43
Por Redação - Agência PA (SECOM)

Trinta e oito pontos da Região Metropolitana de Belém estão sendo alvo da Operação Lei Seca, iniciada na noite de sexta-feira (23), com 10 equipes rotativas das polícias Militar e Civil, e apoio de equipes do Departamento de Trânsito do Pará (Detran), Centro de Perícias Cientificas Renato Chaves, Corpo de Bombeiros, Grupamento Aéreo de Segurança Pública (Graesp), Guardas Municipais de Belém e Ananindeua e órgãos municipais responsáveis pelo gerenciamento do trânsito e da mobilidade urbana. A operação, que prossegue até a madrugada deste domingo (25), é coordenada pela Secretaria Adjunta de Gestão Operacional, da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup). Mais de 300 agentes de segurança atuam nos municípios de Belém, Ananindeua e Marituba.

Antes de a operação começar, uma reunião de planejamento e orientações foi realizada no auditório do Detran. De acordo com o secretário adjunto de Gestão Operacional da Segup, coronel Hilton Benigno, a primeira grande ação deste ano tem caráter educativo. "Nesse primeiro momento a operação é pedagógica, mas em casos de flagrante os condutores serão devidamente notificados. Mas lembramos que estamos aqui para salvar vidas", enfatizou.

Além das ações de fiscalização serão feitas abordagens, buscas pessoais e vistorias em postos de combustíveis, bares e onde houver grande concentração de veículos. Em 2013, 45 pessoas morreram em acidentes de trânsito envolvendo motoristas alcoolizados. Em 2014 esse número aumentou para 65 em todo o Estado. A Operação Lei Seca é baseada nesses dados. “Primeiro precisamos conscientizar essa população. A legislação está melhorando e vamos continuar em busca do índice zero de acidentes. Essa ação articulada é essencial para isso. O Detran sozinho não pode fazer todo esse trabalho”, ressaltou Valter Aragão, diretor de Operações do Departamento de Trânsito.

O secretário de Estado de Segurança Pública e Defesa Social, Jeannot Jansen, garantiu que a ação será contínua. “Ela vai ser educativa, mas isso não significa que será tolerante. Não vamos tolerar o desvio da lei e, aos poucos, o pedagógico vai cedendo espaço para a repressão de conduta, e aí vamos mudando os horários, mudando os lugares”, informou.

Resultados - Em menos de meia hora de operação dezenas de condutores já haviam sido parados nas blitzes. Alguns realizaram o teste do etilômetro (bafômetro) e foram liberados, como o motorista Erasmo Carlos Silva. “Acho que essa ação é mais que viável. A gente se sente seguro de ver que a polícia está fazendo isso, e a gente só ganha com essa fiscalização, para que as pessoas sejam mais responsáveis”, disse ele.

Mas nem todos os motoristas passaram pela averiguação. Um condutor que não quis se identificar fez o teste do bafômetro e estava com 0,50 mg de álcool no sangue. Com essa quantidade, além da infração de trânsito o motorista é multado em cerca de R$ 2 mil e tem sua Carteira de Habilitação retida. Ele ainda é encaminhado à delegacia para responder por crime de trânsito. O limite é de até 0,33 mg de álcool no sangue para que a o condutor seja apenas multado.

<