Estratégias para amamentação são debatidas para a formação de tutores

24/03/2015 12h21

A coordenação estadual de Saúde da Criança da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), em parceria com o Ministério da Saúde (MS), deu início a mais um ciclo de oficinas de formação de tutores da Rede Amamenta e Alimenta Brasil, criada pelo governo federal para promover, proteger, apoiar e estimular os índices de aleitamento materno. A atividade começou nesta terça-feira, 24, e prossegue até sexta-feira, 27, na Escola de Governança Pública do Estado do Pará (EGPA), em Belém.

O objetivo específico do trabalho é capacitar tutores da Região Metropolitana de Belém, em nível municipal, para a utilização dos referenciais da educação no ensino do aleitamento materno, para que sejam multiplicadores nos seus municípios de origem e para a realização de oficinas de trabalho em aleitamento materno nas Unidades Básicas de Saúde.

A atividade tem sido conduzida pela equipe técnica da Coordenação Estadual de Saúde da Criança e pelas facilitadoras Ivone Amazonas, do Ministério da Saúde, e Andréa Marvão, coordenadora do Banco de Leite Humano (BLH) do Amapá. Segundo Ivone, a “Estratégia Nacional para Promoção do Aleitamento Materno e Alimentação Complementar Saudável no SUS - Estratégia Amamenta e Alimenta Brasil" tem como objetivo qualificar o processo de trabalho dos profissionais da atenção básica para reforçar e incentivar a promoção do aleitamento materno e da alimentação saudável para crianças menores de dois anos no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Ou seja: a ideia é formar estes profissionais para que possam montar alimentações saudáveis dando prioridade ao aleitamento materno para crianças de até dois anos de idade.

Entre os temas abordados durante as 40 horas de capacitação estão a leitura e discussão de textos sobre a educação crítico-reflexiva sobre a amamentação, a construção de uma oficina baseada nos dados de uma determinada unidade básica de saúde e a elaboração de um plano de trabalho da rede Amamenta Brasil no Estado do Pará.

Primeiro dia

Durante a abertura das atividades, uma das técnicas da Coordenação de Saúde da Criança, Selma Alves, lembrou que os tutores serão encarregados de capacitar recursos humanos na atenção básica e apoiar e monitorar as ações de incentivo ao aleitamento materno nas próprias unidades de saúde.

De acordo com informações técnicas do Ministério da Saúde, o tutor participante deve ter nível superior, experiência no manejo clínico do aleitamento materno e disponibilidade para se dedicar de fato ao trabalho, além de conhecer bem a política nacional de Atenção Básica.

Dentre as suas atribuições estará preparar e conduzir as oficinas de trabalho nas unidades básicas de saúde, que devem abordar no mínimo 80% dos seus funcionários e, ao menos, um profissional de cada categoria funcional. Depois de passar pela qualificação, as unidades de saúde que tiverem o quantitativo necessário de funcionários capacitados, criarem um fluxograma de atendimento à dupla mãe-bebê e conseguirem concretizar uma das ações pactuadas, receberão a certificação dada pela Rede Amamenta Brasil, que tem validade de um ano.

Serviço:
Oficina para Formação de Tutores da Rede Amamenta e Alimenta Brasil, de 24 a 27 deste mês, na Escola de Governança Pública do Estado do Pará (EGPA), em Belém. Informações pelo telefone (91) 4006-4305.

Por Redação - Agência PA (SECOM)