Sectet reúne empresários paraenses para discutir a educação profissional no Estado

15/04/2015 13h49
Por Redação - Agência PA (SECOM)

A Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Técnica e Tecnológica (Sectet) promoveu na última terça-feira, 14, uma reunião com mais de 30 representantes do empresariado paraense e de instituições públicas e privadas ligadas ao setor produtivo do Estado para discutir meios de expandir, interiorizar e democratizar a oferta de cursos de educação profissional no Pará. O encontro, coordenado por meio da Diretoria de Educação Técnica e Tecnológica da Sectet, ocorreu na sede da Associação Comercial do Pará (ACP) e contou com a parceria do Conselho de Jovens Empresários da ACP (Conjove).

A deliberação surgiu da necessidade de identificar as reais demandas das empresas paraenses para as proposições de cursos e eixos tecnológicos voltados à qualificação dos profissionais que nelas atuam. “Queremos aperfeiçoar a oferta de cursos e de vagas de acordo com as necessidades dos segmentos empresarias atuantes nas regiões do Pará. Não havia esse tipo de articulação da forma como está acontecendo hoje para a construção de uma política voltada para a educação profissional e tecnológica no Estado”, explicou o diretor da DETT, Luis Blasques, durante a abertura da reunião.

Com a palestra “A educação profissional como propulsor das atividades produtivas no Pará”, o diretor Luis Blasques detalhou a reestruturação da Sectet e apresentou as metas da DETT, que envolve a articulação com o setor empresarial para a criação de um comitê gestor para a educação profissional no Pará, o fortalecimento da cadeia local de fornecedores para reduzir a evasão de renda na região, além da proposição de novos cursos voltados à qualificação de pessoal local para atuarem em serviços e processos inovadores.

No decorrer da reunião, a coordenadora de qualificação profissional da DETT, Sonia Mendes, apresentou o acordo de Cooperação Técnica celebrado em março deste ano entre a Sectet e o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, que prevê a redução do gargalo de recursos humanos qualificados para o setor produtivo nacional por meio da oferta dos cursos gratuitos de formação e qualificação do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego - Plano Brasil Maior (Pronatec-PBM).

O Programa utiliza a infraestrutura dos ofertantes de cursos do Sistema S, dos institutos federais e estaduais de ensino, possibilitando tanto a requalificação de trabalhadores em atividade, quanto a formação de trabalhadores para ocupação de novas vagas nas áreas identificadas como de maior carência nos setores estratégicos do Plano Brasil Maior.

“As necessidades diferem de uma cidade para outra são diferentes, e mesmo entre as regiões de uma mesma cidade, por isso acho importante esse diálogo para aproximar as empresas locais das políticas públicas governamentais, apresentnado diretamente as suas demandas quanto à qualificação dos profissionais atuantes nos diversos segmentos do setor produtivo e empresarial”, afirmou o presidente do Conjove, Fernando Severino.

Os empresários que estiveram presentes na reunião farão um levantamento junto ao setor de recursos humanos de suas empresas para averiguar quais os perfis de profissionais que necessitam para melhorar o ambiente de negócios do Estado, cabendo à Sectet acatar esse levantamento para promover o equilíbrio entre demanda e oferta nas vagas por qualificação profissional do Pronatec-PBM em 2016.