Sectet debate educação profissional no Pará com três ministérios

05/05/2015 18h42
Por Redação - Agência PA (SECOM)

A Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Técnica e Tecnológica (Sectet) realizou, nesta terça-feira, 05, duas importantes reuniões de trabalho envolvendo representantes dos Ministérios da Educação (MEC), do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) e do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). O objetivo foi definir diretrizes e estratégias para otimizar o uso dos recursos advindos do Governo Federal, via Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego - Plano Brasil Maior (Pronatec-PBM), e aprimorar a oferta de vagas em cursos de qualificação profissional no Estado do Pará.

O titular da Sectet, Alex Fiúza de Mello, enalteceu a busca da Secretaria por conciliar interesses de outras secretarias estaduais, ministérios, empresas e entidades representativas paraenses com o intuito de encontrar a melhor forma de trabalhar a educação profissional dentro do Pará, considerando toda a sua dimensão geográfica e as especificidades das suas regiões. “Estamos alinhando os projetos e elaborando uma política estadual com vistas ao fomento da formação profissional qualificada, de modo a gerar competência local, aumentar a geração de empregos e ampliar a competitividade do setor produtivo paraense”, afirmou o secretário de Estado.

O diretor de Educação Técnica e Tecnológica, Luis Blasques, esclareceu que a Sectet já vem trabalhando na captura de demandas e na mobilização para pré-matrículas no âmbito dos cursos do Pronatec. “É preciso pensar a oferta de cursos diferenciados que atendam às reais demandas apresentadas pela capacidade instalada nos municípios paraenses. Temos exemplos de cursos que são ofertados há anos, mas que não têm relação com as vocações socioeconômicas das regiões as quais estão inseridas as escolas ofertantes. As pessoas que se formam nesses cursos acabam por não serem absorvidas localmente nos postos de trabalho. Paralelamente a isso, assistimos à importação de mão-de-obra qualificada vinda de outros estados. É preciso rever o modelo e, por isso, é tão importante as parcerias que estão sendo formalizadas com os Ministérios”.

O diretor da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica do MEC, Carlos Artur Arêas, explicou que o Pronatec atende em 41 modalidades e que o MEC atua como um articulador que busca viabilizar a oferta de cursos profissionalizantes demandados pelos ministérios e secretarias estaduais. O diretor esclareceu, também, que o catálogo de cursos ofertados pelo Pronatec está aberto à inserção de novos cursos e que a Sectet pode apresentar propostas. “Ninguém melhor que o estado do Pará para identificar suas próprias demandas e nos solicitar os cursos que atendam às suas reais necessidades”.

No turno da tarde ocorreu a segunda reunião de trabalho, que contou com a presença de representantes das secretarias de estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster), de Educação (Seduc) e de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme). O objetivo da reunião foi o de discutir políticas públicas conjuntas no campo da educação profissional no Estado para a formação de um Comitê Gestor Intersecretarial de Educação Profissional e Tecnológica no Pará, formado por diversas secretarias de estado e por representantes do setor empresarial paraense.

As duas reuniões de trabalho anteciparam as discussões que serão aprofundadas amanhã, dia 6, durante a oficina “Cenários Nacional e Estadual da Educação Profissional e Tecnológica”, que ocorrerá no Centro Integrado de Governo a partir das 8h30. O evento, que é uma iniciativa da Sectet por meio da Diretoria de Educação Técnica e Tecnológica (DETT), reunirá diversas entidades públicas e privadas atuantes no campo da educação profissional do estado, as quais serão convidadas a integrar o Fórum Permanente de Educação Profissional e Tecnológica do Estado do Pará, a ser instituído ao término da oficina.