Beleza, tranquilidade e história na rota turística Belém-Bragança

10/07/2015 12h42
Por Redação - Agência PA (SECOM)

Uma das vantagens das dimensões continentais do Pará é a possibilidade de se surpreender com a variedade de paisagens e atrativos que o estado oferece. Bem próximo da capital, por exemplo, é possível explorar uma rota turística que pouca gente conhece, mas que garante um programa dos mais aprazíveis. Partindo de Belém via BR-316, em direção ao nordeste do Estado, o viajante tem pela frente um roteiro composto por 220 quilômetros de belos cenários e lugarejos dipostos ao longo do traçado da antiga estrada de ferro Belém-Bragança.

A Rota Turística foi estabelecida a partir de 2014, com a recuperação das PA's 320 e 242, o que permitiu o desvio do fluxo de veículos que até então só passavam pela BR-316 para um novo itinerário, a partir de Castanhal, que atravessa oito municípios do polo turístico Amazônia Atlântica, reduzindo o tempo de deslocamento dos motoristas em até 40 quilômetros e garantindo uma viagem tranquila por vias asfaltadas e sinalizadas.

Trem - A Estrada de Ferro Belém-Bragança (EFB) esteve em atividade de 1883 a 1965. Ao longo dela, surgiram colônias agrícolas que destinavam sua produção ao mercado ou porto de Belém. A ferrovia foi desativada há aproximadamente 50 anos, mas até 1965 foi fundamental para o escoamento da produção da região nordeste do estado, inclusive a de borracha.

Com o passar dos anos as colônias agrícolas evoluíram à categoria de municípios, com exceção de Belém, Capanema e Bragança, que já possuíam esse status. A rota, partindo de Castanhal, passa por São Francisco do Pará, Igarapé-Açu, Nova Timboteua, Peixe-Boi, Tracuateua, Capanema, até chegar a Bragança.

O grande atrativo da rota é a ponte de ferro sobre o rio Livramento, entre Nova Timboteua e Igarapé-Açu, que está bem preservada. Até pouco tempo, a ponte ainda conservava os trilhos de ferro e o assoalho de madeira. Atualmente, ela está asfaltada e com a pintura revitalizada. Muitas pessoas das redondezas aproveitam para tomar banho nas águas escuras e geladas do rio Livramento. Bem próximo à ponte fica uma antiga caixa d’água que abastecia o trem, instalada a uma altura de 4,5 metros.

Antes desta travessia, transpondo o rio Jambuaçu, é possível ver os restos de outra ponte, também de ferro, que não é mais utilizada. Do outro lado da estrada, descendo uma inclinação no terreno há um balneário, muito frequentado nas férias e feriados. O igarapé é raso e um bom programa para as crianças.

A estrada passa pela praça central de Nova Timboteua, cidade onde é realizado anualmente, em todo primeiro final de semana de julho, o tradicional Festival do Mingau, que além das iguarias oferecidas ao público, reúne várias atrações culturais. Em outras cidades é possível ainda ver as antigas caixas d’água que abasteciam o trem de passageiros e de carga, como em Igarapé-Açu e na vila de Mirasselvas.

A passagem por Peixe-Boi merece ser feita a um ritmo mais lento, para que o visitante possa aproveitar os muitos atrativos do lugar. O rio que dá nome ao município é um convite para o lazer e o relaxamento. Com uma boa infraestrutura de bares ao longo da orla, a diversão é garantida, com destaque para os passeios de pedalinho.

Outra diversão para os banhistas é saltar da ponte sobre o rio de água gelada, o que apesar de parecer arriscado pode ser feito com toda segurança, pois existe sempre uma equipe do Corpo de Bombeiros a postos no local.

Seguindo em frente, já próximo de Capanema, é possível ver a igrejinha do Sagrado Coração de Jesus, que fica numa propriedade particular, mas tem visitação aberta ao público. Recentemente, no mês de junho, uma festividade realizada pela comunidade local deixou a igreja ainda mais charmosa, com uma decoração toda feita com fitas coloridas.

Filme - As belas paisagens ao longo da rota turística Belém-Bragança também atraem quem busca por uma viagem mais tranquila, sem o trânsito pesado da rodovia BR-316. E foi por conta desses atrativos, que a cineasta paraense Jorane Castro, diretora de filmes como “Mulheres Choradeiras” e “Ribeirinhos do Asfalto”, escolheu a rota turística Belém-Bragança para rodar o seu primeiro longa-metragem, “Amores Líquidos”.

As filmagens, encerradas no fim de maio, mobilizaram uma grande equipe. A trama se passa entre Belém e Salinas, o que no jargão cinematográfico é chamado road movie - filme em que o (s) protagonista (s) sai (em) pela estrada sem rumo, em busca de aventura. A história tem como um dos cenários a rota turística Belém Bragança.

Ao longo de quase 10 dias, a equipe passou por várias locações ao longo das PA's 320 e 242, em pequenas e tranquilas vilas nos municípios ao longo do caminho. O filme está entrando na fase de montagem e deve ser lançado no ano que vem.

Rota - Saindo de Belém pela BR-316 até Castanhal, dobre à esquerda em direção à Avenida Barão do Rio Branco, para entrar na rotatória e seguir pela PA-320 (estrada que vai para São Francisco do Pará). Deste ponto, o condutor segue direto, passando por Nova Timboteua, e dois quilômetros depois chegará ao trevo da PA-242 com a PA-324, seguindo por esta última para Salinas. Já para quem tem destino o município de Bragança, basta seguir caminho pela PA-308 com direção à Capanema.