Famílias vítimas de crimes em Belém recebem recursos do CredCidadão

14/07/2015 19h32
Por Redação - Agência PA (SECOM)

Famílias vítimas dos crimes ocorridos em novembro de 2014, em vários bairros da capital paraense, estiveram na Casa Civil do Governo do Estado nesta terça-feira (14) para receber recursos no valor total de R$ 14.277 do CredCidadão. A equipe social do governo acolheu as famílias oferecendo atendimento com diversas políticas públicas. Participaram da cerimônia, entre outras autoridades, o chefe da Casa Civil, José Megale, e o presidente da Fundação Pro Paz, Jorge Bittencourt.

A entrega do CredCidadão para o grupo de famílias vítimas dos crimes de 2014 é resultado do atendimento integrado que o governo oferece com diversas políticas sociais. “Seja o Cheque Moradia ou a entrega do CredCidadão, é importante destacar que essas são famílias que o Estado vem acolhendo”, disse Jorge Bittencourt. O Estado faz um acompanhamento dos casos desde o segundo semestre de 2014, encaminhado as famílias para programas que possam amenizar as dificuldades que elas enfrentam.

Em conversa com as famílias, José Megale reforçou a necessidade dos contemplados com o CredCidadão de usarem o recurso com responsabilidade. “O dinheiro do CredCidadão é público, um recurso gerido pelo governo. Depende de vocês, da maneira de trabalhar corretamente, transformar o CredCidadão em um instrumento para alavancar a vida de cada um. Que vocês possam, nessa nova etapa, superar todas as dificuldades e ter uma condição de vida cada vez melhor”, disse o chefe da Casa Civil.

A diretora geral do CredCidadão, Tetê Santos, ressaltou que o recurso deve retornar para o programa, pois, assim, se tem a garantia que outras famílias também serão beneficiadas. “Para as famílias contempladas, é feito um parcelamento, com juros baixíssimos, e essas pessoas têm que obedecer o prazo estabelecido no boleto que cada família recebe para fazer o pagamento no período mencionado”, informou. O cumprimento do prazo dá oportunidade para outras famílias serem beneficiadas, evitando cobranças desnecessárias.

Para Eliana Fonseca, da ouvidoria do Sistema de Segurança Pública do Estado, esse é um dos mecanismos de acessibilidade a recursos direcionados a famílias, mães e mulheres vulneráveis. “É um momento importante para que elas possam se fortalecer enquanto chefas de família. Criam-se condições a grupos vulneráveis, dando autonomia e independência econômica”, frisou.

Outra ação do CredCidadão, nesta terça-feira (14), foi o atendimento em Ponta de Pedras, no arquipélago do Marajó, onde nove pessoas foram beneficiadas com R$ 23.360. No dia 10 de julho, em Belém, na Ilha de Cotijuba, no Salão Paroquial, 40 pessoas foram beneficiadas com um total de R$ 78.622. “Já atendemos grande parte das pessoas que pleitearam o CredCidadão. Pretendemos chegar a todos os municípios do Estado, atendendo o público que não teve oportunidade de gerar o próprio negócio”, disse Tetê Santos.

Agora o programa está focando também no público quilombola. “Vamos atuar já em duas comunidades quilombolas, no município de Santa Izabel do Pará, e outra comunidade quilombola no município de Ananindeua. A liberação de microcrédito significa gerar emprego, gerar renda, portanto, diminuir o sofrimento de muitas famílias que não tiveram outras oportunidades”, disse Tetê.