Atuação da Arcon no modal hidroviário é destaque em encontro

02/02/2018 00h00
Por Redação - Agência PA (SECOM)

O trabalho desenvolvido pela Agência de Regulação e Controle de Serviços Públicos do Estado do Pará (Arcon) foi reconhecido durante o evento “Transporte de Passageiros na Amazônia”, realizado em Manaus (AM), na quinta-feira (1º). A Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) e o Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil organizaram o evento.

O órgão estadual foi elogiado pela busca da regulamentação dos operadores que realizam o transporte de passageiros ainda sem autorização, através das campanhas educativas e dos mutirões de regularização.

“Foi muito importante a Arcon-PA participar desse evento que traçou um diagnóstico da navegação no estado do Pará. A gente sai daqui com um sentimento de que estamos no caminho certo da regulação do transporte hidroviário no nosso Estado”, avalia o diretor de normatização e fiscalização, Karim Zaidan, que representou a Arcon.

O Pará ainda recebeu destaque por ser o estado amazônico com o maior número de linhas estaduais, pontos de embarque e desembarque e com mais passageiros e embarcações regulares. Em 2017, foram quase quatro milhões de pessoas circulando entre os rios do Estado.

“Saber que o Governo do Estado está sendo reconhecido como um dos que mais investe no modal hidroviário, seja com a construção de terminais ou na busca da segurança do transporte, incentiva as empresas na busca de mais qualidade na prestação do serviço”, completa Zaidan.

Relatório - No encontro, voltado para empresários do transporte hidroviário, pesquisadores e representantes de órgãos de regulação, foi apresentado o relatório executivo, produzido pela Antaq, em parceria com a Universidade Federal do Pará (UFPA). Denominado "Caracterização da Oferta e da Demanda do Transporte Fluvial de Passageiros e Cargas na Região Amazônica", o documento identifica a demanda, oferta e o fluxo de transportes hidroviários. A abrangência do estudo compreendeu os estados do Pará, Amapá, Amazonas e Rondônia.

O relatório apresenta informações sobre a navegação e os 16 mil quilômetros de rios naturalmente navegáveis, bem como dados sobre as linhas regulares de transporte e os terminais que compõem a rede de transportes hidroviários de passageiros e misto da Amazônia. Foram pesquisadas as linhas interestaduais e internacionais, também as linhas estaduais, identificando as embarcações em operação e os terminais hidroviários utilizados, incluindo instalações mais simples, como atracadouros, até os grandes terminais de passageiros.

O Terminal Hidroviário de Belém “Luiz Rebelo Neto”, inaugurado em 2014, foi o mais bem avaliado pelo Índice Geral de Qualidade (IGQ), que analisou dados de identificação, infraestrutura, embarcações e linhas atendidas. O Terminal Hidroviário de Itaituba, de administração municipal, ficou em quarto lugar.

O IGQ médio dos terminais administrados pelo Estado no Pará também foi o maior da região. O Governo do Pará foi elogiado pela Antaq pela execução e construção de terminais em vários municípios do Estado e pela criação do Grupamento Fluvial de Segurança Pública (Gflu), que realiza as ações fluviais de segurança pública e defesa civil do Estado.