Representante da Semas participa de treinamento na Universidade do Arizona, nos EUA

Participantes foram capacitadas em habilidades técnicas e profissionais que fomentam acesso das mulheres a maiores oportunidades em Ciência e Tecnologia

21/05/2022 12h06 - Atualizada em 21/05/2022 12h19

Uma representante da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) participou, no período de 16 a 20 de maio, na Universidade Estadual do Arizona, Estados Unidos, do "Treinamento para Instrutores: capacitando mulheres em Sistema de Informação Geoespacial e Ciências Ambientais." O evento é promovido dentro do programa Avanço da Prosperidade para Mulheres no Local de Trabalho (AWP) que faz parte do SERVIR Amazônia, um dos centros regionais do projeto SERVIR Global.

Foram selecionadas 23 mulheres de instituições parceiras do SERVIR Amazônia que possuem experiência de carreira na área ambiental e geoespacial. As participantes foram capacitadas em habilidades técnicas e profissionais que fomentam acesso das mulheres a maiores oportunidades econômicas em Ciência e Tecnologia (STEM).

Segundo os organizadores do curso, as participantes poderão ser multiplicadoras do treinamento nos países que residem, promovendo a capacitação a nível regional ou nas instituições que trabalham.

Entre as profissionais brasileiras selecionadas para o evento estavam representantes do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), do Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola (Imaflora), da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e das Políticas Indígenas (Semapi-Acre) e Semas. Os países Colômbia, Equador, Guiana e Peru também estiveram presentes.

A fiscal ambiental da Semas, Bianca Marcuartú, foi uma das selecionadas para receber o treinamento e aplicará o conhecimento no seu ambiente de trabalho. "Ministrarei treinamento aos funcionários da Semas e outras instituições governamentais sobre metodologias de monitoramento de infrações ambientais, utilizando softwares livres, dados públicos e outras ferramentas SERVIR", declarou.

SERVIR Amazônia

Liderado pela Aliança Internacional da Biodiversidade e o Centro Internacional de Agricultura Tropical (CIAT) , o projeto é um dos centros regionais do SERVIR. A expectativa é que em cinco anos (2019-2023), o programa reunirá alguns dos melhores pesquisadores e profissionais de desenvolvimento do mundo para trabalharem em temáticas relacionadas ao engajamento comunitário, à Ciência da Geoinformação e ao sensoriamento remoto, assim como ao clima e à Ciência dos Sistemas Terrestres.   

Por Aline Saavedra (SEMAS)