Em Porto de Moz, assistência técnica garante segurança alimentar e geração de renda

Com apoio da Emater, famílias já estão colhendo frutas e grãos para consumo próprio

19/05/2022 11h18 - Atualizada em 19/05/2022 12h33

Como estratégia para assegurar a autossuficiência alimentar de 90 famílias da Reserva Extrativista Verde para Sempre, em Porto de Moz, na região oeste do Pará, e ao mesmo tempo, incentivar a geração de renda por meio da inserção de produtores em políticas públicas, o escritório local da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater-PA) está orientando duas Associações no resgate de lavouras tradicionais como milho e mandioca, além da fruticultura.

As famílias já estão colhendo frutas e grãos para consumo próprio, e a expectativa é de acessar o Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae) em 2023, o que representará um incremento de 30% na renda familiar. Com isso, ao todo, estão sendo assessoradas 60 famílias da Associação Comunitária Deus Proverá, e 30 famílias da Associação dos Moradores do Jipuru, ambas localizadas às margens do Rio Acarai.

De acordo o técnico em agropecuária da Emater, Jackson Lima, que chefia o escritório local, nestas duas comunidades, há anos, as famílias se dedicavam quase que exclusivamente ao extrativismo da madeira, por meio da execução de Planos de Manejo Florestal Comunitário Sustentável, aprovados pelo Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio), consequentemente, deixando de lado outras atividades produtivas.

"Ao identificar esta situação, a equipe da Emater em Porto de Moz, por meio de ações elaboradas e executadas está resgatando e valorizando a realidade local e as potencialidades das suas áreas produtivas. Com isso, desde 2021, realizamos mais de 100 visitas, e reuniões técnicas, além de atividades de demonstrações de métodos de plantio mecanizado de milho, e preparo de mudas de açaí, cacau e cumaru para implantação de sistemas agroflorestais", explicou o chefe da Emater no município.

A avaliação que Manoel Batista, umas das lideranças da Associação Deus Proverá, sobre as ações da Empresa na comunidade é positiva.

“Hoje já estamos colhendo os frutos das ações orientadas pela Emater nas áreas produtivas. Colhemos milho, melancia e abóbora. A comunidade voltou a ter sua produção agrícola e isto é animador”, contou.

Jackson Lima ressalta que as duas comunidades têm um potencial muito grande para desenvolver agricultura, aquicultura e a criação de pequenos animais.

“A proposta que estamos levando para estas comunidades é para desenvolver atividades aproveitando áreas de capoeiras com o plantio de culturas alimentares como milho, feijão, mandioca e olerícolas que irão servir para melhorar a alimentação das famílias e, posteriormente, vender o excedente acessando os programas do Pnae e Pab [Alimenta Brasil], como também a implantação de Safs para recuperação de áreas alteradas visando um retorno econômico com a produção de cacau, açaí e cumaru", disse o técnico em agropecuária da Emater.

Texto: Paula Portilho/Ascom Emater

Por Governo do Pará (SECOM)