Nova fase do ‘Segurança Por Todo o Pará’ chega ao Baixo Tocantins

A reunião foi na sede do 15º Grupamento do Corpo de Bombeiros, com a participação de gestores municipais e da Segup

02/05/2022 15h43

Deflagrando operações das forças de segurança pública com o intuito de combater cada vez mais, de forma integrada, a criminalidade, a segunda fase do projeto ‘Segurança Por Todo o Pará’ chegou, nesta segunda-feira (2), ao município de Abaetetuba, sede da 4ª Região Integrada de Segurança Pública (RISP Baixo Tocantins).

A reunião operacional realizada, na sede do 15º Grupamento do Corpo de Bombeiros, contou com a participação dos gestores da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social. A Segup coordena o projeto, e o encontro teve também a presença de gestores estaduais e dos municípios que integram a Risp Baixo Tocantins.

Em 2021, na primeira fase, o projeto foi apresentado pela Segup para os gestores locais à frente das decisões em suas respectivas regiões. Nesta segunda-feira, a reunião iniciou com o secretário adjunto de Operações, coronel Alexandre Mascarenhas, recordando o início do projeto e comentando sua principal meta.

“Uma das características desse projeto, é a integração. O que estamos trazendo para o interior é o que tem dado certo na capital juntamente com os frutos que têm sido excelentes. Estamos no quarto ano de gestão e conseguimos as maiores reduções na capital graças a essa integração”, apontou o secretário adjunto.  

Ainda durante a reunião, coronel Mascarenhas destacou os principais pontos na região. “Na segunda fase vamos analisar de fato os números e desenvolver operações para coibir as problemáticas. Aqui é uma região muito próxima da Região Metropolitana e percebemos que as situações são semelhantes e precisamos coibir”, comentou.

Reduções e integração - Com o “Segurança Por Todo o Pará”, a Segup, juntamente com os Comitês Integrados de cada Risp, busca combater a criminalidade e manter a diminuição dos números de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI), que reúnem homicídio, latrocínio e lesão corporal seguida de morte, além de outros mais comuns em cada região.

O projeto já percorreu as Risps do Xingu, Carajás, Tapajós, Araguaia, Marajó Ocidental e Alto Xingu, trazendo resultados significativos em abordagens de transeuntes, prisões, apreensões de armas de fogo e drogas, ações no trânsito e de fiscalização em geral.

Para o presidente do Comitê Integrado de Segurança Pública e Defesa Social da 4ª Risp, coronel José Vilhena, as ações definidas na reunião operacional devem trazer bons resultados para a região. 

“São ações que estão sendo planejadas e pontuadas a partir dos indicadores da criminalidade. Vamos atuar diretamente nesses indicadores, seja de roubo, homicídio e, também, com apoio no trânsito. Já estávamos em nossa terceira reunião com esse propósito de integrar os órgãos que compõe o sistema de segurança pública, interagindo e visualizando quais são os problemas da segurança pública para que juntos e em conjunto ter soluções, planejamento e estratégias”, afirmou o presidente.

Ao todo, dez municípios integram a 4ª RISP (Tocantins): Abaetetuba, Acará, Baião, Barcarena, Cametá, Igarapé-Miri, Limoeiro do Ajuru, Mocajuba, Moju e Oeiras do Pará.

*Texto de André Macedo (Ascom Segup)

Por Roberta Meireles (SEGUP)