Dia Internacional do Jazz será celebrado no Theatro da Paz

A apresentação inicia às 20h do próximo sábado (30), com ingressos à venda na bilheteria do Theatro

28/04/2022 12h46 - Atualizada em 28/04/2022 12h50

Neste próximo sábado (30), a Amazônia Jazz Band (AJB) realiza um show especial em comemoração ao Dia Internacional do Jazz, no Theatro da Paz. A apresentação inicia às 20h e os ingressos estarão disponíveis para a venda a R$ 2,00, a partir das 9h da manhã do dia do evento, na bilheteria do Theatro e pelo site www.ticketfacil.com.br. As apresentações da AJB são realizações do Governo do Estado do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (Secult), do Theatro da Paz e da Academia Paraense de Música (APM).

Sob o comando do Maestro Eduardo Lima, a AJB abrirá o repertório com um grande clássico da música mundial: “Rhapsody In Blue”, de George Gershwin. “O interessante dessa peça é a fusão que existe, em que, em alguns momentos, a música erudita é apresentada junto com o jazz. O arranjo de Gordon Goodwin é maravilhoso e ficou muito interessante com a interpretação da AJB”, comenta o maestro. O solo principal da peça será realizado pelo saxofonista Toninho Gonçalves.   

Músico da AJB há aproximadamente cinco anos, Toninho, que também é clarinetista, revela que a participação solo com seu saxofone e seu clarinete será muito emocionante, por representar exatamente a validação da carreira a qual decidiu seguir dentro da música.

“Fiquei lisonjeado com a oportunidade que me foi oferecida e darei o meu melhor para que o público possa sentir essa emoção que é tocar no Dia Internacional do Jazz. Será um grande desafio para mim!”, ressalta o músico solista, que participará do espetáculo tocando dois instrumentos diferentes.

A noite de celebração levará ao público outros clássicos do Jazz, como “Days of Wine and Roses”, de Henry Mancini; “Moten Swing”, de Count Basie; “Sister Sadie”, do pianista Horace Silver; “Moonlight Serenade”, de Glenn Miller; “A Warm Breeze”, de Sammy Nestico; “Summertime”, de George Gershwin, Du Bose, Dorothy Heyward & Ira Gershwin; e “Blues For Mr. P”, de Jim Martin.

O maestro Eduardo Lima preparou também uma grande surpresa para o público, com uma segunda homenagem durante a noite. Recentemente, no dia 23 de abril foi o Dia Internacional do Chorinho, ritmo que ele considera como o “jazz brasileiro”. Diante disso, Eduardo prometeu dar ênfase ao grande Pixinguinha e a Benedito Lacerda, autores do chorinho “Um a Zero”, que será interpretado por outro talentoso músico da banda, o saxofonista Marcos Vinícius. O desfecho do espetáculo será a interpretação de “Magic Flea”, de Sammy Nestico, uma música animada, com bastante velocidade. 

Origens
O jazz surgiu nos Estados Unidos associado à luta pela liberdade e à abolição da escravatura, e foi difundido no século XIX por comunidades afro-americanas. Mas foi durante as primeiras décadas do século XX que passou a ganhar maior notoriedade, se destacando pelo grande apelo criativo e improvisação. Criado pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) como uma forma de contribuir para a construção de sociedades mais inclusivas, o Dia Internacional do Jazz, comemorado no dia 30 de abril, tornou-se um símbolo de liberdade de expressão e de dignidade humana.

Texto: Com informações de Daniel Granhen/Ascom APM

Por Thaís Siqueira (SECULT)