Seminário discute avanços nos serviços públicos para comunidades quilombolas do Pará

Sejudh apresenta projetos que enfatizam, principalmente, a melhoria da educação de crianças e adolescentes

07/04/2022 18h03 - Atualizada em 07/04/2022 18h42

A Gerência de Promoção dos Direitos dos Quilombolas (GPDQ), da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), participou nesta quinta-feira (07) do "Seminário de Apresentação do Diagnóstico Situacional Quilombolas do Pará”, que aborda o Projeto “Todos Juntos pelos Jovens, Adolescentes e Crianças Quilombolas do Pará”, realizado de forma virtual. O evento é promovido pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), Agenda Pública e outras entidades que desenvolvem atividades para mapear a qualidade dos serviços públicos prestados em Comunidades Remanescentes de Quilombos, de 39 municípios das regiões do Baixo Tocantins, Marajó, Baixo Amazonas, Guajará e Nordeste do Pará.

O seminário, realizado de forma virtual, discute temas de interesse das comunidades quilombolasDurante o encontro, a responsável pela Gerência de Promoção dos Direitos dos Quilombolas, Roberta Cunha, ressaltou as articulações do governo do Estado no atendimento à população quilombola e combate ao racismo. "Apresentei as ações afirmativas que a GPDQ está executando, como a oficina ‘Vozes da Negritude’, além da realização das capacitações em direitos humanos. Enfatizei sobre a educação quilombola, para garantir as políticas públicas e educação quilombola de qualidade”, informou.

Além de colocar o Programa Raízes, ao qual estão vinculadas as Gerências de Igualdade Racial e Quilombola, à disposição, a gerente destacou o empenho por uma educação de qualidade dentro dos quilombos. “Estamos lutando para que os professores quilombolas, por exemplo, possam atuar dentro dos seus territórios na rede de ensino, para que a educação seja de qualidade e que possamos formar as crianças e adolescentes dentro das realidades de seus territórios”, enfatizou.

Por Gerlando Klinger (SEJUDH)