Polícia Civil prende três pessoas e cumpre 11 mandados de busca e apreensão em Concórdia do Pará 

Investigação aponta que a motivação do crime seria a vítima ter, supostamente, informado a policiais militares sobre o local de esconderijo do irmão do mandante, foragido da Justiça

19/01/2022 11h11 - Atualizada em 19/01/2022 12h17

A Polícia Civil do Pará, por meio da Diretoria de Polícia Especializada (Dpe), Divisão de Homicídios e Delegacia de Concórdia do Pará, deu cumprimento a três mandados de prisão e 11 de busca e apreensão, durante a Operação “Discórdia”, deflagrada na última terça-feira (18) e nesta quarta-feira (19), no município de Concórdia do Pará. A ação apura um crime de homicídio ocorrido no mês de novembro de 2021. 

Segundo o delegado-geral Walter Resende, após o crime, o caso passou a ser investigado pela Divisão de Homicídios em conjunto com a Delegacia de  Concórdia do Pará para que os autores fossem identificados e responsabilizados pela ação criminosa. 

“Durante o intenso trabalho investigativo realizado pela Polícia Civil, conseguimos identificar dois executores do crime, assim como o mandante. Diante disso, passamos a diligenciar para coletar todos os elementos que pudessem fundamentar nossa investigação, além de elucidar a motivação do crime“, afirmou Resende.  

Segundo a investigação, a motivação do crime seria em razão da vítima ter, supostamente, informado a policiais militares sobre o local de esconderijo do irmão do mandante, que estava foragido da Justiça e, durante o cumprimento de mandado, morreu por intervenção policial.

Durante a operação desencadeada nesses dois dias, três pessoas foram presas em flagrante, sendo o mandante do homicídio ocorrido no mês de novembro, que foi encontrado com uma arma de fogo, e também estava com mandado de prisão expedido pela Justiça. Além de dois outros homens, os quais foram autuados por porte ilegal de arma de fogo e após arbitramento de fiança, respondem em liberdade. Já as três armas apreendidas serão encaminhadas para perícia. 

As investigações continuam para localizar e dar cumprimentos aos outros dois mandados de prisão contra os executores do crime.

Por Roberta Meireles (SEGUP)