Moradores da nova avenida Tucunduba comemoram chegada da qualidade de vida

Com a conclusão do terceiro trecho das obras, foram beneficiadas mais de 300 mil pessoas, em bairros como o Guamá, Terra Firme, Canudos e Marco.

18/01/2022 11h24 - Atualizada em 18/01/2022 12h30

“Hoje eu moro na beira da pista, na avenida Tucunduba!”. A frase recheada de orgulho é de Maria Divanete dos Santos, 59 anos, que vive há 35 no entorno da Bacia do Tucunduba, um dos maiores desafios do desenvolvimento urbano da capital paraense. Na última quarta-feira (12), o Governo do Estado entregou o terceiro trecho da obra e autorizou o início dos trabalhos nos canais da União e Timbó, que compreendem o quarto.

Com a macrodrenagem, saneamento e urbanização, a residência de Maria Divanete foi valorizada. “Entrava em uma vila para chegar na minha casa. Era um sufoco essa época (chuvosa), ficava com os pés dentro d’água. Hoje é só maravilha. Essa obra trouxe muitos benefícios não só para mim, mas para todos os moradores dos bairros que ela abrange. É uma obra muito grande que contribuiu com o bem-estar de muitas famílias. Só temos a agradecer, viemos nessa luta há muito tempo por essa obra do Tucunduba e vencemos. E a obra continua no trecho quatro que, se Deus quiser, vai estar pronta”, torce.

Raimunda da Silva relembra passado de perdas antes da mudança provocada pelas obrasA situação, vivenciada por décadas, motivava a luta dos moradores por melhores condições de vida em uma área de localização privilegiada na capital, mas que foi prejudicada pelo crescimento desordenado e falta de políticas de planejamento urbano.

A aposentada Raimunda Rute da Silva, 77 anos, lembra que testemunhou muitos vizinhos perderem seus pertences, em função das cheias do Tucunduba, que pioravam no período de chuvas. “Este canal era a maior imundície, horrível. Quando chovia, enchia tudo e ficávamos dentro d’água. Era uma tristeza, muita gente perdeu seus móveis. Isso aqui foi muita luta. Não tinha como andar, pisávamos em duas tábuas. Mas nós batalhamos, chegamos a colocar materiais para aterrar isso aqui. 

Desde quando vim morar para cá eram promessas que vinham fazer a acontecer nesse canal do Tucunduba. Primeiro governador que desde quando assumiu, foi à luta e chegamos onde estamos. Todos nós estarmos aqui em uma avenida dessas, é muito gratificante”, comemora. 

Mudança de vida

Com a conclusão do terceiro trecho das obras, foram beneficiadas mais de 300 mil pessoas, em bairros como o Guamá, Terra Firme, Canudos e Marco. Além da correção da estrutura do canal para garantir a vazão da água, o projeto também contemplou a urbanização da área, com pavimentação asfáltica e construção de praças, parques infantis e quadras de esporte. 

Maria Divanete fala que agora os imóveis do entorno serão valorizadosAo todo, o projeto inicial de Macrodrenagem, em seus três trechos, contou com investimentos na ordem de R$ 250 milhões.  A realização das obras também garantiu a geração de cerca de 1200 vagas de trabalho, garantindo renda para trabalhadores locais.

Ozório Passos Reis, aposentado de 69 anos, também celebra o novo momento da vida dele e dos vizinhos. “Isso aqui era um alagamento total. Quando chovia, principalmente, nós não conseguíamos nem sair de dentro de casa. Hoje estamos vendo a obra do governo, que está de parabéns. Está show de bola. Nós podemos passear com as crianças, é uma maravilha, temos que aplaudir”, reconhece.

O terceiro trecho do canal do Tucunduba recebeu plantio de mudas de açaizeiro, entre a rua 2 de Junho e a travessa da Vileta. A espécie de açaizeiro foi escolhida por ser nativa da região e se adaptar melhor ao tipo de solo existente no local, além de contribuir para a recuperação da cobertura vegetal do canal. 

Saiba mais:

Estado entrega o 3º trecho do projeto de Macrodrenagem da Bacia do Tucunduba, em Belém 

Com investimentos em obras essenciais, Estado contribui para mudar o cenário de Belém

Por Dayane Baía (SECOM)