Papiloscopistas da Polícia Civil contribuem com ação técnico-científica à elucidação de crimes

Especialistas analisam as impressões digitais para identificar pessoas vivas ou mortas e ajudar as investigações policiais

29/12/2021 15h06 - Atualizada em 29/12/2021 16h15

Papilocopista da Polícia Civil no trabalho técnico de construção de retrato-faladoO trabalho dos papiloscopistas da Polícia Civil do Pará são fundamentais para a elucidação de crimes, assim como em serviços de promoção da cidadania, como a emissão de carteiras de identidade. A atuação dos papiloscopista é vinculada à Diretoria de Identificação "Enéas Martins" (Didem), na área da identificação humana desde julho de 1913, como Serviço de Identificação Civil.

Segundo o delegado-geral da Polícia Civil, Walter Resende, o trabalho realizado pelos profissionais é fundamental para que a Polícia Civil do Pará atue de forma efetiva na solução de crimes e também na emissão de carteiras de identidade. “A identificação humana por intermédio de impressões digitais garante maior eficiência e efetividade aos trabalhos prestados pela Polícia Civil à população paraense em diversas áreas”, afirmou o delegado-geral.

Profissional da PC realiza perícia científicaOs papiloscopistas também realizam perícias técnicas para apurar fraudes em documentos, identificar criminosos, por meio de análise de impressão digital, além de analisarem imagens de circuitos de segurança para elaboração de laudos e produção de retrato falado de suspeitos.

Jorge Almeida, diretor da Didem, reforçou que não tem como pensar em polícia judiciária sem a presença dos profissionais. “Nós temos uma grande satisfação profissional em participar do processo de identificação, seja de forma civil, criminal ou necropapiloscópica. Diante disso, nos sentimos gratificados em dar cidadania a uma pessoa, desde criança no início da vida até à fase em que possa se encontrar já sem a vida em um Instituto Médico Legal (IML)”, contou o diretor.

BALANÇO
As frentes de trabalho avançaram em meados de 2021 e a boa atuação reflete em números positivos. No Pará, 147 papiloscopistas auxiliam em trabalhos investigativos e também em diligências. Também neste ano, os profissionais foram responsáveis pela identificação criminal necropapiloscópica (cadavérica), com 1.348 procedimentos, 156 levantamento de vestígios e informações técnicas por meio de laudo prosopográfico (comparação facial e antropometria), técnicas de iconografia e retrato-falado o qual 87 foram realizados.

"Utilizamos sistemas e ferramentas informatizadas, nos processos laboratoriais para revelar fragmentos e permitir a descoberta de provas importantes para a elucidação de crimes. O trabalho de papiloscopia avança cada vez mais ao lado da ciência para auxiliar a população em diversas áreas”, informou Jorge Almeida, da Didem.

Serviços Criminais – A Didem atua também com a Divisão de Homicídios (DH), e, em 2021, alcançou a lavratura de 1.944 procedimentos diretos e 7.163 indiretos, entre eles autos de Flagrantes, Inquérito Policial (IPL) e Termo Circunstanciados de Ocorrência (TCO).

Cidadania - A Didem é popularmente conhecida pelo serviço de emissão da Carteira de Identidade (RG). Com planejamento e ações estratégicas, a diretoria avançou no serviço.

“Reformulamos nosso planejamento e, com isso, conseguimos dar andamento aos atendimentos que estavam em atraso por conta da pandemia da Covid-19. Uma força-tarefa foi montada e conseguimos atender e normalizar as emissões, tudo com o apoio direto dos nossos servidores”, ressaltou Almeida. Até agora, mais de 10.734 carteiras de identidade foram emitidas, somente no posto de identificação da Polícia Civil", finaliza Jorge Almeida, da Didem.

Agendamento - A emissão da carteira de Identidade somente será expedida por meio de agendamento pelo site: agendamento.policiacivil.pa.gov.br e os documentos necessários são: Certidão de nascimento ou casamento: cópia e original, 2 fotos 3x4 atuais e comprovante de residência. A partir da 2a via será necessário apresentar o boleto de pagamento.

*Texto de Talison Lima (Ascom PC)

Por Governo do Pará (SECOM)