Forma Pará divulga resultado preliminar do processo seletivo de 2021

Mais de 10 mil estudantes do estado realizaram a prova para concorrer às 1.817 vagas ofertadas pelo programa

29/12/2021 11h41 - Atualizada em 29/12/2021 11h46

Na tarde da última terça-feira (28) foi divulgado o resultado preliminar do processo seletivo especial da chamada 2021 do Forma Pará. Mais de 10 mil estudantes do estado realizaram a prova no dia 5 de dezembro para concorrer às 1.817 vagas ofertadas pelo programa em 36 municípios/distritos paraenses.

O Forma Pará é uma ação do Governo do Estado coordenada pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet), executada de maneira inovadora, unindo esforços com as Instituições de Ensino Superior (IES), prefeituras e organizações sociais. Ele busca reduzir o déficit da educação superior no Pará, ofertando cursos em municípios/distritos que não tenham campi das instituições ou que possuam demanda para determinado curso superior que não é ofertado.

A chamada 2021 do programa tem cursos executados por todas as IES públicas presentes no estado: Universidade Federal do Pará (UFPA); Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra); Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa); Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa); Universidade do Estado do Pará (Uepa); e Instituto Federal do Pará (IFPA).

O resultado preliminar da seleção para Uepa, Unifesspa, Ufopa, Ufra e IFPA está disponível no site da Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa (Fadesp). Os estudantes podem ingressar com recursos até esta quinta-feira (30). O resultado final será divulgado no dia 5 de janeiro. Já no site do Centro de Processos Seletivos (CEPs), os candidatos dos cursos executados pela UFPA já podem ver o resultado definitivo. A data de início das aulas seguirá o cronograma de cada instituição

Lei

No dia 8 de outubro de 2021, o governador Helder Barbalho publicou, no Diário Oficial do Estado (DOE), a Lei no 9.324 que transformou o Forma Pará em Programa de Estado, não mais de Governo. Desta forma, garante-se a continuidade do Programa nas próximas gestões de governo, que terão de manter o investimento na ampliação do número de vagas de ensino superior no estado. A publicação da lei ainda permite que o programa oferte agora cursos em nível de pós-graduação (especialização, mestrado, doutorado e pós-doutorado).

Por Fernanda Graim (SECTET)