Obras de macrodrenagem do Tucunduba, em Belém, estão em fase de conclusão

Equipes iniciaram trabalho de concretagem que fazem parte da terceira e última etapa de obras, que englobam o perímetro entre a rua 2 de Junho e a travessa da Vileta

06/12/2021 09h04 - Atualizada em 06/12/2021 12h03

As obras do projeto de Macrodrenagem do Tucunduba, em Belém, entram em reta final. Esta semana as equipes iniciaram os trabalhos de concretagem da última das 16 pontes que compõem o projeto, na travessa Cipriano Santos, bairro de Canudos. A ação faz parte da terceira e última etapa de obras, que corresponde ao perímetro entre a rua 2 de Junho e a travessa da Vileta. 

A partir de 2019, o Governo do Estado trabalha para concluir a Macrodrenagem do Tucunduba. O projeto se arrastava desde a década de 90, mas foi retomado pela atual gestão e agora será concluído em benefício de cerca de 200 mil pessoas, em bairros como o Guamá, Terra Firme, Canudos e Marco, garantindo saneamento, mobilidade e mais qualidade de vida para a população. 

Em visita às obras, o engenheiro civil, Ruy Cabral, titular da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas (Sedop), pasta responsável pelo projeto, destacou a importância da conclusão da obra. “Quero dizer da nossa felicidade, estamos na reta final, para em janeiro entregarmos ao povo de Belém esta importante obra que se arrastou por mais de 20 anos. Hoje, estamos iniciando concretagem da última das 16 pontes que compreendem o projeto e, se Deus quiser, nos próximos 20 dias estaremos concluindo da melhor forma este projeto de enorme importância, que vai resolver o problema dos alagamentos nos diversos bairros que contempla. Parabenizo todos os envolvidos nesta luta para trazer dias melhores para Belém.” destacou o titular da Sedop. 

Além do processo de concretagem da ponte, as equipes seguem atuando na urbanização da avenida Tucunduba, às margens do canal, com obras de pavimentação e conformação do talude (área inclinada que margeia o canal), com revestimento em grama, informa o engenheiro da Sedop, Gilmar Mota. 

“Também estamos preparando toda a parte viária para que depois façamos a sinalização. Hoje a nossa previsão é entregar a obra finalizada em janeiro, para que a população possa usufruir. Esta é uma obra que contempla cinco bairros e dá condições mais dignas para os moradores”, disse Gilmar Mota. 

Sonho realizado

Para quem mora nas áreas próximas ao canal, a conclusão do projeto de Macrodrenagem do Tucunduba representa a realização de um sonho. Porfírio Felício da Silva é natural do município de Bragança, no Salgado paraense, e mora, desde o ano de 1977, na avenida Tucunduba, no bairro da Terra Firme. 

Porfírio faz parte da comissão de moradores que acompanha o desenrolar das obras, desde o início e hoje enxerga com alegria a execução das obras no canal. “Eu tinha um sonho de morar em um bairro chamado Terra Firme. Por incrível que pareça, quando eu cheguei aqui a água dava no pescoço, mas hoje você vê que nossa luta valeu a pena. A gente vê uma obra que não funcionava e agora, pra nossa alegria está sendo feita. Dava uma chuva e isso aqui ia pro fundo. Hoje chove e você nem sabe se choveu. Trouxe pra nós a alegria que faltava. Parabéns a esse governo que atendeu o nosso pedido.” disse o morador. 

Quem também mora na área é Maria Divanete dos Santos, que também diz estar satisfeita com a obra. “Eu passei anos da minha vida com os pés dentro d’água. Qualquer chuva minha casa ia pro fundo. Agora não enche mais. É muito bom. O esgoto e o saneamento chegaram à minha porta e eu estou muito feliz”.

A expectativa é de que o terceiro trecho do canal do Tucunduba seja entregue à população da capital em janeiro de 2022, se somando aos outros dois trechos, da rua São Domingos à rua 2 de Junho, já entregues no início deste ano.

Por Matheus Rocha (PC)