Seaster certifica 36 empresas com o selo ‘Empresa Cidadã’

Selo é símbolo de reconhecimento pela adesão ao programa Primeiro Ofício e compromisso com a contratação de jovens aprendizes

30/11/2021 11h32

O Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster), certificou 36 empresas com o selo 'Empresa Cidadã', símbolo de reconhecimento pela adesão ao programa Primeiro Ofício e compromisso com a contratação de jovens aprendizes durante o ano de 2021. O ato foi realizado durante a manhã da última segunda-feira (29), no auditório da Escola de Governança Pública do Estado do Pará.

O programa Primeiro Ofício é uma inciativa estadual que visa sensibilizar empresas a disponibilizar vagas de aprendizagem a jovens de 14 a 24 anos em situação de vulnerabilidade social. O Programa, gerenciado pela Seaster, já inseriu aproximadamente 1,2 mil jovens em vagas de aprendizagem e certificou 40 empresas com o Selo “Empresa Cidadã. 

“Essa é uma manhã muito feliz. A certificação dessas empresas é fruto da compreensão e valorização do nosso programa. O empresariado vê a importância em incentivar a inserção do jovem no mercado de trabalho, em especial aqueles oriundos de famílias vulneráveis. Nós não queremos os nossos jovens na violência, queremos jovens com oportunidades”, destacou o secretário adjunto de trabalho, emprego e renda da Seaster, Miriquinho Batista.

Além de promover a inclusão social e diminuir os índices de violência, a iniciativa garante cidadania e a execução da Lei de Aprendizagem (Lei 10.097/2000), que determina que empresas de médio e grande porte devem preencher a cota de aprendizes fixada entre 5%, no mínimo, e 15%, no máximo, de acordo com o total de empregados. O descumprimento dessa lei é considerado infração trabalhista.

O contrato de trabalho pode durar até dois anos e, durante esse período, o jovem é capacitado na instituição formadora e na empresa, combinando formação teórica e prática.

A empresa ‘Cidade Limpa’ foi uma das agraciadas com o selo. O representante Davi Oliveira destacou a importância de um olhar social voltado à juventude paraense. “Eu acompanho a trajetória da aprendizagem aqui em Belém desde 2004 e desconheço outro programa aqui no Estado que dê esse amparo na execução de uma lei que é federal. Agora podemos dizer que vamos ter de fato esse respaldo e dar condições e subsídios para a realização dessas contratações, fazendo com que a lei seja cumprida. Antes, a nossa maior dificuldade era chegar nesse público, intermediar essa relação, e hoje, através do primeiro ofício o jovem é assistido por uma rede de profissionais, entre psicólogos e assistentes sociais. Aquilo que a empresa, porventura, não conseguir atender, o estado dá o apoio. Eu parabenizo pela iniciativa e fico satisfeito em ver o olhar social em prol desse público”, comentou.

O diretor do Banco do Estado, Paulo Arévalo, também esteve presente no evento e reforçou “O Banpará foi pioneiro neste processo de adesão, fomos os primeiros a aderir ao programa e hoje, temos em nosso corpo de trabalho 57 jovens aprendizes. Sem sombra de dúvida, participar deste momento e ver os resultados é extremamente gratificante”.

 

Empregabilidade

Um estudo divulgado pelo Departartamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (DIEESE) aponta que só no primeiro semestre (Jan-Jun/2021) o estado já registrou, aproximadamente, 5.500 novas contrações voltadas a jovens aprendizes. Nos últimos 12 meses a contração de jovens em todo o Pará alcançou cerca de 8.900 novos postos. Os resultados obtidos pelo Pará são os maiores verificados entre os demais estados da Região Norte.

O titular da Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda, Inocencio Gasparim, destaca a importância dos resultados obtidos e o envolvimento da Seaster em políticas públicas voltadas à juventude.

“Nós temos observado resultados extremamente positivos, entre eles a manutenção do Pará no ranking de geração de empregos entre os estados da Região Norte. As ações no sentido de prover recursos à economia, movimentaram o comércio, o serviço e, consequentemente, potencializaram a contratação de trabalhadores, entre eles os jovens. Através do Primeiro Ofício, diversas empresas já participaram desse processo, contrataram jovens e receberam o selo. Mesmo em meio a pandemia, a Seaster continuou realizando parcerias e mantendo contato com os empresários", destacou o secretário.

Por Camila Santos (SEASTER)