Fórum Mundial de Bioeconomia discute formas de financiamento sustentável

Os participantes do Fórum, que ocorre até quarta-feira em Belém, discutem desenvolvimento, economia e meio ambiente

18/10/2021 19h55 - Atualizada em 18/10/2021 21h10

Governador Helder Barbalho na abertura do Fórum Mundial de Bioeconomia, que ocorre na capital paraense

Dentro da programação do Fórum Mundial de Bioeconomia, em Belém, na tarde desta segunda-feira (18) um painel discutiu o status da economia global. Do evento participaram governadores da Amazônia e os respectivos secretários estaduais de Meio Ambiente. Em destaque, a discussão da importância de um financiamento sustentável capaz de construir e aliar desenvolvimento, economia e meio ambiente.

Joaquim Vieira Ferreira Levy, diretor de Estratégia Econômica e Relações com o Mercado do Banco Safra no Brasil, ressaltou que o alcance de resultados requer financiamento, mas frisou que a notícia boa está no fato de que há, cada vez mais, interesse em soluções que só a Amazônia pode oferecer.

“Principalmente pela economia, preservação da floresta, transformação da pecuária, extrativismo sustentável. São muitas as oportunidades, e o que é importante, e o Governo do Estado está fazendo muito bem, é você construir políticas muito claras, oferecer instrumentos financeiros, como o Fundo da Amazônia Oriental, que dá governança, disciplina”, complementou.Governador Helder Barbalho, ao lado do secretário Mauro Óde Almeida e do presidente do Banpará, Braselino Assunção

Iniciativas de Estado, aliadas aos investimentos privados, resultam em linhas capazes de gerar empreendimentos aptos a lidar com crédito de carbono e demais tendências apontadas e prospectadas durante o Fórum. 

Oportunidades - Até a próxima quarta-feira (20) a capital paraense é sede do Fórum Mundial de Bioeconomia (WCBEF). Em uma ação articulada pelo Governo do Pará, pela primeira vez o evento ocorre fora da Europa.Helder Barbalho visitou estantes de produtores vinculados às cadeias da bioeconomia

O Fórum Mundial de Bioeconomia discute caminhos e oportunidades com real potencial de transformação e de sinergia com a natureza. Lideranças e especialistas, do Brasil e do exterior, debatem propostas voltadas ao desenvolvimento pleno da bioeconomia.

A liderança do Brasil em bioeconomia é compatível com o protagonismo que os governadores do Fórum da Amazônia também esperam alçar na COP-26, em Glasgow, na Escócia.

Por Bianca Teixeira (SECOM)