Emater garante atendimento a beneficiários do assentamento Abril Vermelho, em Santa Bárbara

O órgão estadual tem orientado os trabalhadores rurais sobre programas e políticas públicas com linhas de crédito, algumas exclusivas para assentados

16/09/2021 16h46 - Atualizada em 16/09/2021 17h12

Dona Maria Gessi Costa, 56 anos, vive no Assentamento de Reforma Agrária Abril Vermelho desde que a área foi ocupada em 16 de abril de 2004. Ela é uma das agricultoras acompanhadas pelo escritório local da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater), no assentamento.Emater no Assentamento Abril Vermelho, em Santa Bárbara

"Eu produzo no meu lote açaí, pupunha e cacau. E desde o momento que comecei a ser acompanhada pela Emater sempre fui muito bem atendida, com todo o acompanhamento, tendo inclusive acesso a linha de crédito do Pronaf B”, conta Maria Gessi.

Em recente reunião realizada pelo escritório local no assentamento, a agricultora e outros produtores do assentamento tiveram conhecimento sobre programas e políticas públicas e também sobre linhas de crédito para agricultores, algumas exclusivas para assentados de reforma agrária, como a do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar - Grupo A ( Pronaf A), explica o chefe do escritório local da Emater em Santa Bárbara, Carlos Alberto Barbosa.

“Estamos na fase de informação, onde os Assentados através de suas associações solicitam da Emater o interesse em participar do Pronaf A. Então, nós agendamos essas reuniões para apresentar as regras do projeto e após isso aguardamos o retorno dos assentados com  a relação com dos interessados”, informa o chefe local.

A Emater informa que o Pronaf é especifico para beneficiários de reforma agrária. De posse da demanda dos assentados, a Emater faz o encaminhamento ao Incra, para autorização para emissão da Declaracão de Aptidão ao Pronaf (DAP). E também realiza o levantamento de campo para emissão da DAP e a qualificação da demanda para posterior elaboração das propostas de crédito.

Jovens e adultos em reunião com os técnicos da Emater Mas o trabalho desenvolvido para a comunidade vai além do acesso às linhas de crédito como o Pronaf B. Desde 2010, entre as atividades desenvolvidas estão palestras, oficinas, Emissão de DAP, Emissão de Declaração de Produtor e assessoramento para as organizações sociais (Cooperativas e Associações de Produtores), além de orientações técnicas voltadas ao desenvolvimento das principais atividades desenvolvidas no assentamento como a produção de açaí, mandioca, cupuaçu e pupunha; a olericultura, apicultura, e a criação de galinha caipirão.

O chefe do escritório local de Santa Bárbara, Carlos Alberto Barbosa, considera a assistência dada aos assentados essencial para que os produtos da agricultura familiar ganhem mercado. “A importância do acompanhamento é imprescindível uma vez que na maioria das vezes é a Emater, o órgão que está mais próximo do produtor, orientando, munindo de informações, auxiliando na elaboração das propostas para participação das chamadas públicas, bem como sendo o elo de ligação de contatos com as demais instituições”.

Sobre a geração de renda, Carlos Alberto ressalta a importância da inserção dos produtos no mercado institucional. “Eles passam a ter uma garantia de venda de seus produtos com preços definidos o que permite panejar com uma certa segurança o aumento de sua produção e melhorias na qualidade do produto, uma vez que já sabem o quanto e para quem irão fornecer sua produção e, consequentemente, funcionando esse ciclo, o resultado será aumento de área cultivada, aumento de consumo de insumos e de mão de obra proporcionando assim aumento de ocupação e renda”, conclui Carlos Alberto.

O último balanço anual de atendimento do escritório local da Emater em Santa Bárbara registrou o atendimento 95 assentados do Abril Vermelho.

*Texto de Etiene Andrade (Emater).

Por Governo do Pará (SECOM)