Com mais de 7 mil postos de trabalho, Pará lidera saldo positivo no setor da Construção Civil 

Segundo dados divulgados pelo Dieese-PA, o Estado também é líder regional também na geração de empregos no Comércio

26/08/2021 19h25 - Atualizada em 27/08/2021 02h09

O setor da Construção Civil no Pará gerou, neste primeiro semestre de 2021 (janeiro a junho), quase 7,7 mil postos de trabalho, maior saldo entre os estados da região Norte do Brasil, segundo balanço divulgado nesta quinta-feira (26) pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese-PA). Nos últimos 12 meses, o Pará também é o estado que mais gerou empregos formais entre as unidades nortistas da Federação.

O titular da Secretaria de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda, Inocêncio Gasparim, atribui a boa performance do Estado à retomada econômica, durante a qual o setor de construção aparece como um dos principais empregadores. Ele assinala que o Governo do Pará investiu em um calendário intenso, com obras contratadas no valor de mais de R$ 2 bilhões.Com mais investimentos no Estado, o setor da Construção Civil abriu mais de 7 mil postos de trabalho

“Com o início do verão, o planejamento de construção das rodovias paraenses ganhou celeridade. Logo, é possível atrelar isso às mais de 7 mil novas vagas só neste setor. Através da atração de mais investimentos, da implantação de novas empresas, a economia paraense tem ganhado impulso. Unido à instalação de grandes obras, principalmente durante o verão amazônico, o Pará registra o aumento de postos de trabalho e ganha destaque no ranking de geração de empregos na região Norte", ressaltou Inocencio Gasparim.

O Pará ocupa o 1º lugar entre os estados da região Norte na geração de empregos, seguido pelo Amazonas (com 1.737 postos de trabalho); Tocantins (1.468); Rondônia (780) e Acre (660). O Amapá apresentou a maior queda de empregos formais, com a perda de 361 postos de trabalho, seguido de Roraima, com a perda de 64 postos.

Observatório - Neste primeiro semestre, a região Norte apresentou 59.855 admissões contra 47.950 desligamentos, o que resultou na geração de 11.905 postos de trabalho, dos quais quase 7,7 mil somente no Pará.

O estudo, elaborado pelo Dieese-Pará, é feito com base em informações oficiais do Ministério da Economia, segundo o novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), e integra o projeto do Observatório do Trabalho do Estado do Pará, desenvolvido em parceria com a Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster).

Junho - Somente no mês de junho, o saldo positivo na geração de empregos formais no setor da Construção, no comparativo entre admitidos e desligados, foi de 3.486 postos de trabalho. No mesmo período do ano passado, o setor já havia apresentado crescimento, ao registrar 2.480 novos postos, número já superado neste ano.

O Estado com o segundo melhor desempenho foi o Amazonas, com a geração de 848 postos de trabalho; seguido pelo Tocantins (386); Rondônia (342) e Acre (223). A região Norte apresentou 12.762 admissões contra 7.454 desligamentos, totalizando a geração de 5.308 postos de trabalho formais.

Últimos 12 meses - O balanço sobre a flutuação do emprego formal no setor da Construção, nos últimos 12 meses, considerando o período de julho de 2020 a junho de 2021, demonstra que o Pará gerou 13.330 postos de trabalho, conquistando o maior destaque entre no Norte do Brasil. O Amazonas gerou 3.824 postos de trabalho nesse período. O Comércio é outro setor que garante liderança regional ao Pará na geração de empregos

Comércio - Além do setor da Construção, o Pará é líder regional também na geração de empregos no setor do Comércio. Segundo o Dieese, nove mil novos postos de trabalho no segmento foram criados apenas no primeiro semestre deste ano.

Nos últimos 12 meses, o saldo também foi positivo no comparativo entre admitidos e desligados (julho/2020-junho/2021), quando foram feitas 100.194 admissões contra 74.071 desligamentos, gerando um saldo positivo de 26.123 postos.

Jovens aprendizes - Só no primeiro semestre deste ano, o Estado já registrou, aproximadamente, 5 mil contrações de jovens aprendizes, e mantém destaque regional na geração de empregos para jovens, segundo o Dieese.

Nos últimos 12 meses, a contratação de jovens em todo o Pará preencheu quase 8,5 mil postos. Os resultados obtidos pelo Pará na abertura de postos de trabalho para a juventude são os maiores verificados entre os demais estados da região Norte.

Leia mais em:

https://agenciapara.com.br/noticia/30879/

https://agenciapara.com.br/noticia/30804/

Por Giovanna Abreu (SECOM)