Governo estadual investe cerca de R$ 30 milhões nas áreas da hemoterapia e hematologia do Pará

03/08/2021 18h07 - Atualizada em 03/08/2021 19h09

No mês de aniversário de 43 anos da Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará- Hemopa, festejado dia 2 de agosto, o Governo estadual anuncia investimentos na ordem de R$ 30 milhões, que vão favorecer as áreas de Hemoterapia e Hematologia no Pará com a construção de um prédio anexo da sede do Hemocentro Coordenador, em Belém; obras de reforma e revitalização da sede do Hemopa, da Unidade de Coleta Castanheira e nas oito unidades da hemorrede estadual, além da aquisição de nova Unidade Móvel de coleta de sangue. 

São investimentos que beneficiarão diretamente pacientes que dependem de sangue para sobreviver e/ou melhorar a qualidade de vida, levando-se em consideração que a construção da duplicação prédio Hemopa na capital vai ampliar o atendimento aos voluntários da doação de sangue, vai garantir a ampliação da assistência de média e alta complexidade ao pacientes com patologias do sangue, onde o Hemopa é referência na saúde pública do Estado; ampliação do Parque Laboratorial para sorologia do sangue coletado no Pará.

Reforma do prédio do Hemocentro de BelémDe acordo com o presidente da Fundação Hemopa, o administrador Paulo Bezerra, o Governo do Pará veio brindar o aniversário do hemocentro paraense, presenteando a sociedade, em especial, todos cidadãos que dependem da assistência da Fundação. “Com tudo isso, vamos aumentar ainda mais o conforto aos nossos usuários, ampliar nosso atendimento hematológico e hemoterápico, não apenas na capital como no interior do estado”.

O gestor aproveitou a oportunidade para informar que a Unidade de Coleta Castanheira, que passa por revitalização de sua estrutura, desde o dia de 12 julho, será entregue à população neste sábado, 7 de agosto. Com a reforma, o Hemopa atenderá os voluntários  com  ainda mais conforto, segurança e humanização.

Sobre a aquisição da nova Unidade Móvel de Coleta, ele ressalta que representa a descentralização do serviço junto à sociedade que, por sinal, é o foco de sua gestão. “Passaremos a ter duas unidades que estarão à disposição dos voluntários, instituições parcerias. É o Hemopa alcançando ainda mais a população”, observou ao informar que a nova unidade deve aumentar em até 5% o volume de doação de sangue na Região Metropolitana de Belém (RMB). Hoje, a Gerência de Captação de Doadores registra uma média de 70 comparecimentos de voluntários por campanha realizada na atual Unidade Móvel de Coleta. De janeiro a junho deste ano, foram realizadas 44 campanhas com a Unidade.

A descentralização da coleta de sangue é fundamental por vários motivos, em especial, para atender o aumento da demanda transfusional com a criação de novas unidades da rede hospitalar das mais diversas complexidades de assistência. Paulo Bezerra cita, por exemplo, que em breve, a população ganhará mais dois grandes hospitais públicos estaduais: Pronto Socorro do Benguí e o Hospital da Mulher. 

“A expansão da saúde pública exige crescimento da capacidade de atendimento transfusional também. E estamos trabalhando junto com o Governo para garantir isso”, frisou o presidente do Hemopa.

Atendimento transfusional

De janeiro a junho de 2021, foram realizadas 45.932 doações, cujo resultado foi 15% maior que o mesmo período do ano passado. Do total de doações realizadas no Pará, 60% de voluntários são do gênero masculino. O titular da Fundação Hemopa ainda enfatizou que, em 20 anos, de 2000 a 2020, foram efetivados 1.027.942 cadastros de doadores de sangue.

Somente em 2019 foram realizadas 94.439 doações no Pará. Em 2020 foram realizadas 84.964 coletas.

No interior paraense, a Fundação Hemopa possui  Hemocentros Regionais em Santarém, Castanhal e Marabá; Hemonúcleos em Altamira, Abaetetuba, Tucuruí, Redenção e Capanema.

Reforma do prédio Hemocentro de Castanhal

Quem pode doar

O cidadão que deseja fazer a doação de sangue precisar seguir os critérios básicos:
• Ter entre 16 e 69 anos (menores de idade devem estar acompanhados do responsável legal);
• Pesar mais de 50 kg
• Estar em boas condições de saúde.
No momento do cadastro, é obrigatório apresentar um documento de identificação oficial, original e com foto (RG, CNH, passaporte ou carteira de trabalho).
Quem teve Covid-19 também pode voltar a doar, só precisa esperar 30 dias após a cura. Quem teve contato com pessoas que tiveram a doença deve esperar 14 dias após o último contato.
Para quem recebeu a vacina Coronavac/Butantã, são 48 horas de inaptidão para doação, após cada dose. Já as demais vacinas basta esperar 7 dias após cada dose.

Por Vera Rojas (HGT-Tailândia)