Ideflor-Bio promove oficina sobre Diagnóstico Rural Participativo em Juruti

A capacitação visa à implantação do Projeto de Recomposição Florestal mediante o plantio de Sistemas Agroflorestais

21/07/2021 16h18 - Atualizada em 22/07/2021 11h32

O Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade (Ideflor -Bio), por meio do Escritório Regional do Baixo Amazonas I (Erba I), realizou de segunda (19) a quarta-feira (21) ações destinadas à implantação do Projeto de Recomposição Florestal mediante plantio de Sistemas Agroflorestais (Prosaf) na região de abrangência do município de Juruti, no oeste paraense.

A Oficina do Diagnóstico Rural Participativo (DRP) foi promovida para agricultores da Associação Comunitária da Gleba Curumucuri (Acoglec), com o objetivo de apoiar a autodeterminação da comunidade e fomentar o desenvolvimento sustentável.

Equipe técnica e participantes da oficina em JurutiA ação visou, ainda, coletar informações para a construção dos arranjos produtivos voltados à implementação dos Sistemas Agroflorestais (SAFs) nas áreas degradadas dos associados, dentro do Projeto Estadual de Assentamento Agroextrativista Curumucuri (PEAEx Curumucuri), que abrange uma área de 106.231,12 hectares, onde vivem aproximadamente 2.500 famílias.

Segundo o presidente da Acoglec, Isaías Vitor, a entidade buscou apoio do Ideflor-Bio para a concretização da implantação do Prosaf, já que desde 2020 vem tentando avançar, mas o processo foi dificultado pela pandemia de Covid-19.

“A retomada das ações do Instituto na região fortalece o desejo da Associação em ver seus associados e assentados realizando seus trabalhos com orientação e apoio técnico, com foco na produção sustentável e buscando entender o mecanismo e a técnica aplicada na recuperação de áreas degradadas, com ênfase na implantação de SAFs, capaz de gerar segurança alimentar para as famílias, harmonia social para comunidade e, principalmente, deixando renda para quem produz com os ditames da sustentabilidade. E respeitando, acima de tudo, a natureza, mas usufruindo de seu potencial”, ressaltou o engenheiro florestal e gerente Regional do Ideflor-Bio, Weden Mota.

Produção de mudas - Além da aplicação do DRP pela equipe técnica do Instituto para um grupo de membros da Associação, houve reunião com o presidente da Associação Comunitária dos Pequenos Produtores Rurais Extrativistas do Surval (Acoppres), Luiz da Silva Matos. A entidade, que fica na área chamada de Juruti Velho, pretende construir um viveiro de mudas para atender às demandas dos agricultores, assim como às atividades futuras do Prosaf na comunidade.

Outras ações são realizadas, como a visita ao escritório local da Emater (Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural), para alinhar projetos e buscar parcerias para o Prosaf, e a visita à Secretaria Municipal de Produção e Abastecimento, que desenvolve atividades voltadas aos agricultores do município.

“Devido à pandemia muitas ações foram reduzidas. Mas agora, com o governo incentivando, apoiando e distribuindo vacinas em todo o Estado, estamos retomando, com a cautela que o momento exige, respeitando os protocolos institucionais. É o momento de avançar e colocar as ações em prática”, disse a presidente do Ideflor-Bio, Karla Bengtson.

Por Patricia Madrini (IDEFLOR-BIO)