Ceasa garante mais segurança a consumidores e feirantes com reforço na iluminação

Postes de iluminação serão colocados na rotatória, portaria e em todo o complexo do mercado, favorecendo também o tráfego de pedestres, ciclistas e motoristas

15/07/2021 10h21 - Atualizada em 15/07/2021 10h39

A iluminação pública nas Centrais de Abastecimento do Pará (CEASA-PA) passa por processo de ampliação, adequação e modernização com melhorias em todo o Complexo do Mercado, em Belém. Os trabalhos tiveram início com a medição de espaço para instalação dos postes de iluminação e essa necessidade foi apontada no plano de segurança do entreposto paraense, realizado pela equipe técnica da CEASA em parceria com a Polícia Militar, por meio do 27⁰ BPM.

O projeto de manutenção, melhoria e ampliação do sistema de Iluminação pública no complexo do mercado é uma realização da Secretaria Municipal de Urbanismo (SEURB), por meio da Diretoria de Iluminação Pública (DIP), em parceria com a Diretoria Executiva das Centrais de Abastecimento do Pará (CEASA-PA),

“É algo que nos deixa muito orgulhosos, pois esse projeto vem atender uma demanda muito importante dos usuários e permissionários desta área no sentindo de melhorar a trafegabilidade de pedestres, ciclistas, motoristas e, principalmente, melhorar a segurança pública nesta área tão importante não só para o município de Belém como toda Região Metropolitana”, ressalta o diretor de iluminação pública da SEURB, Antônio Felix Negrão Junior.

Os postes de iluminação serão colocados na rotatória, portaria e em todo o complexo do mercado. São postes de 9 metros por 150 de excurso, servindo para iluminação e transmissão, com luminárias de luz branca e potência de 250W.

“Estamos trabalhando na parte estruturante para garantir a melhoria do mercado das Centrais e desta forma dar boas condições de mobilidade, trabalho e segurança aos permissionários, fornecedores dos hortifrutigranjeiros, servidores e a população que vem fazer suas compras com mais tranquilidade”, enfatiza o presidente da CEASA-PA, José Scaff Filho.

Por Bernadete Barroso (CEASA)