Semas anuncia criação da Câmara Técnica de Equidade, Igualdade de Gênero e Mudanças Climáticas

A Câmara visa trazer as mulheres para o centro das tomadas de decisões em relação às questões sobre o clima

02/07/2021 18h10 - Atualizada em 02/07/2021 18h44

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) publicou na manhã desta sexta-feira (2), no Diário Oficial do Estado (DOE), a Portaria 974/2021, que estabelece a criação da Câmara Técnica de Equidade, Igualdade de Gênero e Mudanças Climáticas, em parceria com o Fórum Paraense de Mudanças e Adaptação Climática (Fpmac). O objetivo da Câmara é garantir a participação das mulheres nas tomadas de decisões em relação às mudanças climáticas, que aprimoram a Política Estadual sobre Mudanças Climáticas, com seus programas e projetos.

A instituição da Câmara é considerada um marco, pois sinaliza o comprometimento do Governo do Pará com a construção de uma política ambiental eficiente, em condições de responder às demandas ambientais, e mais ainda ao tema da desigualdade. “A Câmara Técnica traz luz e voz para os temas de equidade e igualdade de gênero a serem tratados dentro das discussões e do desenho da política pública ambiental. Refletindo o reconhecimento, pelo Estado, de que os impactos das mudanças climáticas são desiguais entre os gêneros, e que precisam ser levados em conta quando da construção, para que se possa mitigar os impactos e contribuir para a superação das desigualdades de oportunidades”, frisou Camille Bermeguy, diretora de Bioeconomia, Meteorologia Hidrologia e Mudanças Climáticas da Semas.

Após a reativação do Fórum Paraense de Mudanças Climáticas, a Semas participou de diversas reuniões e atividades, debatendo a importância da criação de câmaras setoriais, que fortalecem as discussões, diretrizes e todas as questões relativas às mudanças climáticas no Estado, principalmente relacionadas às discussões de gênero.

Território Sustentável - “Esses debates acontecem ao redor do mundo todo e são muito específicos. O Fórum demonstra que está alinhado com a temática e a tudo o que está acontecendo atualmente, quanto à emergência das mudanças climáticas. Além disso, essa Câmara vai nos auxiliar na criação de ações e subprogramas, como o de gênero, por exemplo, que está sendo implantado na Política Integrada do Território Sustentável com as mulheres produtoras de polpas de frutas em São Félix do Xingu”, disse Camilla Miranda, gerente da Diretoria de Bioeconomia, Mudanças Climáticas e Serviços Ambientais da Semas.

A Câmara tem como objetivo identificar estratégias que possam responder às inúmeras crises ambientais e humanitárias causadas pelas mudanças do clima. Além disso, a Política Estadual sobre Mudanças Climáticas tem como um de seus princípios a implementação de ações que promovam a equidade de gênero e a participação de jovens nos processos de implementação desta Política. O programa prevê uma série de capacitações locais, para que as mulheres sejam cada vez mais protagonistas no âmbito das mudanças climáticas e do desenvolvimento local. Os cursos devem iniciar ainda em julho.

Por Bruna Brabo (SEMAS)