Santa Casa reduz a zero os casos de infecção hospitalar na UTI pediátrica em maio

Engajamento da equipe multiprofissional que atua na unidade foi fundamental para garantir a segurança dos pacientes internados em situações críticas

15/06/2021 14h31 - Atualizada em 15/06/2021 15h37

Equipe multiprofssional da UTI Pediátrica da Santa Casa celebra o êxito de ter zerado os casos de infecções durante o mês de maioA equipe multiprofissional da Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica (UTI-Ped) da Fundação Santa Casa foi homenageada, na tarde desta terça-feira (15), por reduzir a zero o risco de infecção no último mês de maio. O reconhecimento foi manifestado durante cerimônia organizada pela equipe de assistência da instituição, com o apoio da Assessoria de Controle de Infecção Hospitalar (ACIH).

Marcelo Williams Souza, enfermeiro intensivista que atua na UTI Pediátrica, diz que o êxito obtido é resultado das ações estratégicas desenvolvidas ao longo dos anos 2020 e 2021 por uma equipe engajada, que se preocupa com os processos relacionadas à assistência aos pacientes.

“Isso reflete o índice de qualidade que a gente ainda não tinha alcançado, considerando vários fatores. Cada mês a gente crescia um pouquinho e rodava a outros ciclos de melhoria, para em cima disso a gente conseguir chegar no resultado de infecção zero”.

Além do engajamento da equipe multiprofissional, ele ressaltou o compromisso ético, a humanização e, acima de tudo, a obstinação para superar desafios e construir um degrauzinho em busca da excelência.    Médica e diretora técnica assistencial da Fundação Santa Casa, Norma Assunção destaca que zerar a infecção dentro de uma unidade de terapia intensiva representa para o paciente a experiência de passar por uma unidade crítica e não ter nenhuma intercorrência, como a infecção.

A médica afirma que há várias formas de prevenir infecções, dentre as quais a mais básica é a higienização das mãos.

“A equipe toda aderiu à higienização das mãos e isso evita que eu leve a infecção do paciente para outro e com esse resultado a unidade conseguiu atender a toda sua demanda no tempo ideal, sem ter tido intercorrência, e de forma segura”.

Ela diz que a segurança do paciente contra infecções em ambiente de UTI depende em grande parte da equipe multiptofissional. "Essa equipe toda aqui no hospital entendeu seu papel. Entendeu os cuidados que tem que se ter para evitar infecção dentro de uma unidade crítica. Esse resultado é mérito de toda a equipe, de eficiência no cuidado desse paciente”, ressalta a médica.

AÇÕES ESTRATÉGICAS

Médica intensivista pediátrica, Mary Lucy Melo diz que êxito de zerar as infecções se deve à coesão da equipe no cuidado dos pacientesA equipe da ACIH tem obtido bons resultados em seus indicadores através do reordenamento das atividades, culminando com ações estratégicas e de melhor integração com a equipe assistencial, o que contribui para uma assistência mais segura aos pacientes e servidores da Fundação Santa Casa do Pará. 

A média de internação na UTI-Ped, que oferece 10 leitos, gira em torno de 30 pacientes por mês, com uma taxa de ocupação de 89%. A UTI-Ped é clínica e cirúrgica, trabalhando com pós-operatório de cirurgia de grande porte e com pacientes clínicos descompensados. Cerca de 60% pacientes são do interior do estado e os outros 40% da Região Metropolitana de Belém.

Para a médica intensivista pediátrica, Mary Lucy Melo, o controle da infecção hospitalar em qualquer unidade de saúde é um marco: “Quando se trata de UTI, ainda mais pediátrica, entende-se que essa responsabilidade se multiplica, e o fato de, neste mês, a Unidade de Terapia Intensiva pediátrica de uma forma global reduzir e, em outra, zerar a infecção hospitalar reflete um time coeso e integrado no cuidado ao paciente”, afirma. 

Por Samuel Mota (SANTA CASA)