Territórios do TerPaz recebem cestas de alimentos pelo terceiro mês consecutivo

Famílias do Jurunas, Guamá e Terra Firme são beneficiadas com ação da Secretaria Estratégica de Articulação da Cidadania, Fundação ParáPaz e Ouvidoria Geral

10/06/2021 14h36 - Atualizada em 10/06/2021 16h06

Mulheres chefes de famílias aguardam em clima tranquilo a entrega das cestas de alimentos, um auxílio providencial do Governo do Pará"Essa ação foi uma benção, tem me ajudado muito, e ainda divido a cesta com o meu irmão que é deficiente visual e com a família dele". Eis a fala da moradora do bairro do Jurunas, em Belém, há 52 anos, a aposentada, Maria de Belém Pereira, ao receber a terceira cesta de alimentação, da ação integrada entre a Secretaria Estratégica de Articulação da Cidadania (Seac), Fundação ParáPaz e Ouvidoria Geral do Estado, que, desde abril, garante alimentos a usuários já pré-cadastrados do TerPaz. O auxílio alimentar foi assegurado nos meses de abril, maio e junho, na Região Metropolitana de Belém.

"Agradeço muito a Deus e ao governo por essa ajuda’’, afirmou Maria de Belém Pereira, durante a ação realizada na manhã desta quinta-feira (10). Um total de 257 cestas da alimentação foram entregues às famílias dos bairros do Jurunas, Guamá e Terra Firme em Belém, todos territórios do TerPaz.

"Hoje continuamos essa ação tão importante de mitigação da fome e dos efeitos socioeconômicos da pandemia, com distribuição de 8 mil cestas básicas, dentro do âmbito do programa Territórios pela Paz, para famílias necessitadas e para comunidades tradicionais, indígenas e quilombolas, auxiliando aqueles que mais precisam, por parte do governo do Estado. O grande diferencial dessa ação é que ela não tem simplesmente o objetivo de entregar a cesta, e sim de acompanhar esses moradores, ou seja, é realizado um trabalho contínuo, de forma que essas famílias sejam ouvidas e que o Estado consiga facilitar acesso a benefícios, melhorando e transformando a qualidade de vida dessas famílias’’, afirmou o secretário adjunto da Seac, Raimundo Santos Junior. 

Técnico em enfermagem, Pedro Cardoso, 60 anos: "Nesse período, tudo ficou mais caro, por isso, essa ajuda veio em boa hora’’.O técnico em enfermagem, Pedro Cardoso, de 60 anos, contou que mora com a mãe de 88 anos, e que estava agradecido por ter sido um dos beneficiados. "Nesse período de pandemia as coisas ficaram mais difíceis, já que tudo ficou mais caro, por isso essa ajuda veio em boa hora’’, disse ele.

Os alimentos foram adquiridos através da doação de um milhão de dólares  (cerca de R$ 5,38 milhões) da Open Society Foundations, rede internacional de filantropia que apoia financeiramente grupos da sociedade civil em todo o mundo. A entidade fez a doação ao TerPaz para investimentos em ações de enfrentamento à Covid-19, amenizando os impactos da pandemia à população em vulnerabilidade.  

"Essa é uma ação do governo do Estado, por intermédio da Seac, e da Fundação Parapaz, com o apoio da Fundação Open Society Foundations, onde procuramos levar cestas básicas a moradores dos 7 territórios atendidos pelo TerPaz, e levar também uma esperança em dias melhores, já que a tendência é que avancemos com uma série de ações cidadãs para o nosso povo, e por sorte melhorar a qualidade de vida deles’’, afirmou o presidente da Fundação Parapaz, Alberto Teixeira.

O ajudante de pedreiro, José Antônio Pereira, 31 anos: "Essa cesta está ajudando muito, porque lá em casa as coisas estão difíceis". Morador do bairro do Guamá, o ajudante de pedreiro, José Antônio Pereira, 31 anos, também foi um dos beneficiados. "Essa cesta está ajudando muito, porque lá em casa as coisas estão difíceis, tenho um filho pequeno e no momento minha esposa não está trabalhando, a única renda que temos é a dos trabalhos que faço como ajudante de pedreiro’’, falou o morador.

A doméstica Maria Leoniz dos Santos de 60 anos, moradora do bairro da Terra Firme, era só gratidão. "Eu agradeço muito por ter sido uma das beneficiadas, já que as coisas estão complicadas, no momento eu não estou trabalhando e atualmente conto com a ajuda dos meus filhos’’, disse a doméstica.

Todas as cestas de alimentação devem ser entregues até junho aos moradores cadastrados, obedecendo um cronograma com dias e horários alternados para evitar aglomeração e respeitar os protocolos de segurança sanitária.

Por Elizabeth Teixeira (SEAC)