Hemopa intensifica estratégias para captação de doadores de sangue

Fundação pede a parceria da sociedade para não deixar de atender as demandas dos hospitais em todo o Pará

23/04/2021 12h59

Em Santarém, mãe e filha saíram de casa com o propósito de ajudar a salvar vidas. Daniele Maia, a mãe, já é doadora de sangue e acompanhou a filha, Gabriele Saraiva, 18 anos, para fazer a sua primeira doação de sangue, nesta sexta-feira, 23. "Acho que é uma atitude de amor ao próximo e acho que todos deveriam fazer. Estou grata em estar bem e poder doar sangue", destacou Gabriele com felicidade em dar início a esta missão voluntária.

Durante este período de pandemia, a Fundação Hemopa vem praticando estratégias de captação de antigos e novos doadores para manter estoque de sangue regular e, assim, garantir atendimento da demanda transfusional da rede hospitalar. Essas estratégias foram intensificadas em todo o Pará.

"Estamos com estoque em nível razoável. E sempre precisamos estar em alerta para não deixar de atender as demandas dos hospitais", destacou Joaquim Araújo, gestor do Hemocentro Regional de Santarém.

Assim como em Santarém, os estoques de todos os municípios em que o Hemopa se faz presente, também estão precisando de reforço, constantemente, até porque a necessidade de transfusão é contínua. No município de Castanhal, a necessidade maior, neste momento, é de sangue do tipo O Negativo.  

Uma ‘Caravana Solidária’ de Colares, encarou a estrada e uma travessia de balsa para chegar até o Hemocentro de Castanhal. Luciane Cristina, 37 anos, é uma dos 15 voluntários de Colares. "É uma satisfação muito grande pra mim poder doar. Sei que muitos estão precisando, principalmente, agora na pandemia".

A Fundação Hemopa desenvolve um serviço essencial à saúde e também está no combate ao novo coronavírus. O serviço transfusional é ininterrupto e a demanda é constante. Pacientes em tratamento contra o câncer, acidentados, pacientes com Anemias e agora, pacientes internados com covid-19, precisam de transfusão para lutar pela vida.

O gesto voluntário da doação pode fazer a diferença na vida de muitas pessoas. E para doar é simples. O cidadão precisar seguir os critérios básicos:

•             Ter entre 16 e 69 anos (menores de idade devem estar acompanhados do responsável legal);

•             Pesar mais de 50 kg

•             Estar em boas condições de saúde.

No momento do cadastro, é obrigatório apresentar um documento de identificação oficial, original e com foto (RG, CNH, passaporte ou carteira de trabalho). 

Quem teve Covid-19 também pode voltar a doar sangue, só precisa esperar 30 dias após a cura. Quem teve contato com pessoas que tiveram a doença deve esperar 14 dias após o último contato.

Para quem recebeu a vacina Coronavac/Butantã, são 48 horas de inaptidão para doação de sangue, após cada dose. Já a vacina AstraZeneca/Fiocruz, são 7 dias após cada dose. Se o candidato à doação de sangue não souber qual imunização fez, só poderá voltar a doar sangue, após 7 dias.

SERVIÇO

Mais informações: 0800 280 8118 / 31106500.

Por Anna Cristina Campos (HEMOPA)