Produtores artesanais de derivados da mandioca ganham certificação em três municípios do Pará

Eles atuam em Belém, Santa Maria do Pará e Nova Timboteua. Adepará diz que o objetivo da ação é banir produtos clandestinos, que oferecem risco ao consumidor

22/04/2021 16h27

Três estabelecimentos produtores dos derivados da mandioca foram certificados pela Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará). As empresas que receberam o registro por meio da Gerência de Inspeção de Produtos de Origem Vegetal (Gipov) estão localizadas nos municípios de Belém, Santa Maria do Pará e Nova Timboteua.

A certificação objetiva garantir produtos de qualidade reconhecida aos pontos de comercialização e, consequentemente, à mesa do consumidor. Essa atividade também combate o comércio de produtos clandestinos, que podem oferecer riscos à saúde alimentar.

Produtos clandestinos não têm orientação e garantia de higiene, pois não há como confirmar se o produto foi fabricado com os pré-requisitos de adequações das instalações de produção.

É trabalho da inspeção vegetal da Adepará induzir o hábito das boas práticas, com equipamentos e maquinários adequados, fazendo com que o produtor fabrique com qualidade.

Hamilton Altamiro, fiscal estadual agropecuário e gerente da Gipov, explicou que as inspeções e certificações são produtos de parceria com o Ministério Público e a Vigilância Sanitária e visam à retirada da comercialização de produtos clandestinos da área vegetal.

“Com o avanço das atividades, com certeza vamos retirar muito produto clandestino do mercado. Isso possibilitará que o produtor certificado tenha condições de vender seu produto com um preço justo.”, ressaltou.

Além de ter a qualidade resguardada, toda a produção feita em estabelecimentos registrados recebe melhores oportunidades de comércio.

SERVIÇO

Para se registrar na Adepará, Hamilton Altamiro frisou que o interessado pode comparecer a qualquer escritório da agência no município em que o estabelecimento esteja localizado e solicitar o trabalho de orientação.

O atendimento também pode ser feito pelos contatos das gerências regionais, disponíveis no site da Agência (adepara.pa.gov.br).

Por Manuela Viana (ADEPARÁ)