Hospital Metropolitano promove ação ambiental para conscientização da comunidade

22/04/2021 15h48 - Atualizada em 22/04/2021 18h47

Nesta quinta-feira, 22, em todo o mundo, é comemorado o Dia da Terra. A data foi celebrada pela primeira vez em 1970, durante um protesto - em vários países - contra o derramamento de óleo, a poluição atmosférica e dos rios. 

A ação envolveu acompanhantes do Hospital Metropolitano. Após 51 anos, a pandemia trouxe um lembrete de que os seres humanos são vulneráveis diante das ameaças naturais. Estes assuntos fizeram parte de uma roda de conversa, na manhã de hoje, entre acompanhantes de pacientes internados no Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE).

Na ocasião, dezenas de mudas foram distribuídas e outras cultivadas na área verde do Metropolitano. “É com essas ações que temos a oportunidade de desafiar a sociedade no sentido de criar atitudes que possam trazer benefícios para o planeta”, explicou a analista de sustentabilidade, Amanda Mitoso.

Localizada em Ananindeua, Região Metropolitana de Belém, o HMUE é uma unidade que pertence ao Governo do Pará e que desenvolve mensalmente atividades com a temática de cuidados com o meio ambiente.

Para que a ação ocorresse com segurança, foram adotadas medidas com base nas orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS). Portanto, a ação foi realizada com distanciamento social, uso de máscara e higienização das ferramentas entregues aos participantes.

Estou levando para plantar em casa, declarou a dona de casa, Sandra SerafimA dona de casa Sandra Serafim, de 42 anos, que está no Metropolitano acompanhando o filho em recuperação, participou do cultivo. “Plantei algumas mudas de jambeiro aqui no hospital e estou levando outras para plantar em casa. Estou há alguns dias aqui e isso acaba ajudando a gente, que muitas das vezes ficamos ociosos”, declarou.

Além de ser um dos participantes da ação, Mizal Belo, que atua como analista de humanização, comentou sobre a importância do ato. “Temos pacientes que passam muito tempo aqui e os acompanhantes acabam ficando estressados e ansiosos. Essas atividades também ajudam a melhorar o emocional", enfatizou.

Para o secretário de Saúde do Pará, Romulo Rodovalho, iniciativas como a do HMUE provocam reflexões sobre a importância do planeta e o desenvolvimento de uma consciência ambiental duradora. “A humanidade precisa refletir que a única resposta é o desenvolvimento sustentável que contemple o bem-estar das pessoas e do planeta. Por isso é revelante conscientizarmos as pessoas da necessidade imediata de preservarmos nosso habitat, começando pela educação ambiental”, destaca.

Motivos para plantar árvores

Combater o aquecimento global – Por ano, uma árvore pode absorver em média 12 kg de CO2, além de produzir oxigênio suficiente para uma família de quatro pessoas. Elas podem chegar a ter mais de 4 mil anos, exercendo um papel fundamental na neutralização dos gases que causam o efeito estufa, deixando o ambiente mais fresco e evitando a elevação da temperatura no planeta.

Evitar a desertificação – As árvores estabilizam o solo nas zonas áridas e podem evitar que o vento leve embora a camada superior com nutrientes, prevenindo a desertificação.

Auxiliar na captação de água – Estudos apontam que regiões desmatadas não conseguem absorver nem 10% da água da chuva. Uma árvore adulta pode absorver até 250 litros, evitando que enchentes ocorram. Além disso, um ambiente florestado permite que a água penetre no solo, abastecendo rios e córregos.

Fornecer alimentos e matérias primas para comunidades – As árvores e outras formas de vegetação protegem e dão força à vida comunitária. Elas fornecem alimentos, fibras, resinas e frutos, que garantem a vida de milhares de agricultores em suas comunidades.

Texto: Diego Monteiro (Ascom/HMUE).

Por Governo do Pará (SECOM)