Internet de fibra óptica agiliza processos do atendimento socioeducativo no Pará

Avanço é resultado do novo contrato firmado entre a Fasepa e a Prodepa, garantindo internet segura e de qualidade nas unidades socioeducativas do Estado

19/04/2021 12h42 - Atualizada em 19/04/2021 14h37

A implantação de internet de fibra óptica tem permitido uma maior agilidade em todos os processos administrativos e demais atividades que envolvem o atendimento socioeducativo no Pará. Esse avanço é resultado do novo contrato firmado entre a Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa) e a Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação do Pará (Prodepa), que viabilizou a instalação de uma internet mais veloz e segura nas unidades socioeducativas (UASES) do estado neste ano. 

Internet mais veloz vai garantir melhorias na aula a distânciaO atual contrato também acompanha a licença do uso dos softwares governamentais, como o Simas, o Sigplan, o SigiRH e o Processo Administrativo Eletrônico (PAE). Esse último, com apenas seis meses de implantação, gerou uma economia de mais de 4 milhões de reais ao governo do Estado com a substituição do uso do papel pelo formato digital dos documentos.

Desde março de 2020, a Fasepa opera com todos os seus processos administrativos em formato digital na sede administrativa, onde já existia uma internet rápida com um contrato anterior com a Prodepa. Essa realidade foi expandida para as unidades de atendimento socioeducativo possibilitando 10 megas de velocidade nas UASES localizadas na Região Metropolitana de Belém, quanto em Santarém e em Marabá.

"Esse contrato precisou ser oportunizado em virtude inicialmente pelo cenário pandêmico, que forçou as nossas rotinas administrativas a se tornarem cada vez mais eletrônicas", explica o diretor administrativo financeiro da Fasepa, Darley Barros.

Para o técnico da gerência de informática da Fundação, Kildery do Vale, o avanço foi muito significativo para o dia a dia dos servidores. "Eu poderia dizer que melhorou em cem por cento porque o que nós tínhamos antes era dificuldade, hoje nós temos a solução. Como a gente trabalha no suporte de informática, a gente percebia a insatisfação dos servidores, por conta da antiga internet quando eles não conseguiam enviar emails, até a folha de pagamento eles tinham dificuldade de enviar, tinha que ser levada impressa por carro", relata Kildery sobre a realidade vivenciada com as dificuldades do acesso à internet nas gestões anteriores.

Miguel Fortunato, presidente da FasepaGARANTIA DOS DIREITOS E DEVERES 

Os benefícios vão muito além da economia de consumo de papel, que consequentemente gera menos poluição ao meio ambiente. Uma internet eficaz com velocidade alta proporciona a celeridade no trabalho burocrático, e a economia de transporte e combustível utilizados no deslocamento de servidores e documentos, na Região Metropolitana de Belém e no interior do estado. Além de garantir por meio das videoconferências as audiências online entre o sistema de justiça e os socioeducandos, agora é possível dar acesso a convivência familiar à distância, um dos direitos mais difíceis de serem garantidos devido às restrições de distanciamento social exigidas pela pandemia da Covid-19.

"Essa parceria da Fasepa com a Prodepa é uma ação que consegue atender uma série de necessidades da política do atendimento socioeducativo, um alcance importantíssimo que é a integração digital de todas as unidades socioeducativas com a área administrativa", disse Miguel Fortunato, presidente da Fasepa. Ele destaca ainda outro serviço que é a garantia da escolarização, desafio enfrentado atualmente pela maioria da população brasileira devido à falta de acesso a um serviço de internet eficaz. "Nós temos agora total condição de trazer o conceito educacional à distância e apoiar a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) na sua missão dentro da Fasepa. Sem sombra de dúvida, um grande avanço para a socioeducação", ressalta Miguel.

Para quem se encontra em estado de privação de liberdade, por consequências de um histórico de ausências de oportunidades e o convívio em uma realidade de diversas formas de violência, a garantia de direitos e deveres preconizados no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e no Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (Sinase) torna-se cada vez mais necessária.

Segundo a diretora de atendimento socioeducativo da Fasepa, Vilma Moraes, a implantação da internet de fibra ótica nesse período renovou o compromisso do eoverno do Estado com a socioeducação. Ela acredita que "para nós é uma inovação necessária, um avanço significativo de modernidade da gestão. A Fasepa está avançando na crise, está conseguindo garantir aos nossos socioeducandos os direitos fundamentais". 

*Texto: Franklin Salvador (Ascom Fasespa).

Por Governo do Pará (SECOM)