Pará integra iniciativa inédita para tratar com Estados Unidos sobre mudança climática na Amazônia

Governador Helder Barbalho assina carta, junto com mais de 20 governadores, que será enviada ao presidente Joe Biden

14/04/2021 19h36 - Atualizada em 14/04/2021 22h08

O Governo do Pará integra uma iniciativa inédita em defesa do meio ambiente, ao se juntar a mais de 20 estados brasileiros que assinam uma carta ao presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, com o objetivo de fortalecer a agenda ambiental internacional e o Acordo de Paris, que estabelece metas para melhorar o clima no planeta. A intenção dos governadores é implementar ações conjuntas, propondo a cooperação entre os Estados Unidos e os governos estaduais brasileiros, responsáveis pela maior parte da floresta amazônica. A carta será enviada até o dia 20 de abril. O Fórum Nacional de Governadores articula o envio com o embaixador dos EUA no Brasil, Todd Chapman.

Segundo Helder Barbalho, é de interesse de todos os estados da Amazônia buscar soluções para contribuir com o crescimento socioeconômico e ambiental da região. “É extremante relevante a aproximação do governo do presidente Joe Biden com a Amazônia, para que possamos unir esforços com o intuito de construir soluções e ter como pilar o compromisso com o desenvolvimento social, econômico e ambiental, e o protagonismo que a Amazônia deve exercer para o equilíbrio do planeta”, ressaltou o governador.Governador Helder Barbalho (d) e o secretário Mauro O’de Almeida buscam soluções para o crescimento socioeconômico e ambiental da Amazônia

Com apoio do Centro Brasil no Clima (CBC), de instituições da sociedade civil, pesquisadores e cientistas, a parceria entre o Brasil e o país norte-americano pode impulsionar um modelo de economia sustentável com equilíbrio climático, ajudando a reduzir a pobreza e a construir um modelo de desenvolvimento mais saudável e resiliente na pandemia. A carta prioriza a defesa da humanidade e demais espécies de vida ameaçadas pela degradação dos ecossistemas.

“Esta carta é importante para destacar que compromissos quanto ao clima acertados em fóruns internacionais estão confirmados no âmbito dos estados brasileiros. É preciso registrar isso e dizer que estamos abertos ao diálogo e à colaboração”, afirmou o secretário de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Mauro O’de Almeida. 

Potencial de investimento - O grupo norte-americano propôs o Plano Joe Biden para a Amazônia Brasileira com o objetivo de constituir políticas que possibilitem aos Estados Unidos o investimento de US$ 20 bilhões na proteção da floresta amazônica.

Durante a última videoconferência com governadores de estados da Amazônia Brasileira, o embaixador Todd Chapman reforçou o interesse na parceria. “Todos queremos encontrar governos com visão. 
Queremos ouvir dos Estados o que pode ser feito desde já para diminuir o desmatamento ilegal nos próximos meses. Espero que possamos expandir esse diálogo sobre métodos de cuidar do meio ambiente”, disse, na ocasião, o embaixador norte-americano.

A parceria pode somar rapidamente capacidade técnica, grandes áreas regeneráveis e governanças locais à imensa capacidade de investimentos da economia americana, conectando políticas públicas, conhecimentos científicos, instrumentos inovadores e iniciativas empresariais.

Plano Amazônia Agora - Principal política pública nas áreas de Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural do Governo do Pará, o Plano Estadual Amazônia Agora (PEAA) reúne atualmente quatro componentes centrais de atuação, que buscam conciliar o cuidado e a conservação do meio ambiente com o desenvolvimento das potencialidades da economia rural no Pará: Comando & Controle (repressão aos crimes ambientais); Ordenamento Ambiental, Territorial e Fundiário (regularização e segurança jurídica para investimentos); Territórios Sustentáveis (incentivo técnico e fomento aos produtores rurais, aliado à certificação da produção e ao acesso a novos mercados) e Financiamento Ambiental de Longo Alcance (captação de recursos para políticas públicas e estímulo a projetos socioambientais).

Outra finalidade do Plano é o incentivo a atividades que promovam a redução de emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE), prevenção, controle e alternativas ao desmatamento e estratégias econômicas, financeiras e fiscais para proteção ambiental no Pará, conforme o artigo 30 da Lei Estadual n° 9.048, de 29 de abril de 2020, que estabelece a Política Estadual sobre Mudanças Climáticas.

Por Bruna Brabo Secom (SECOM)