Usinas pela Paz terão serviços ao consumidor e às mulheres em situação de vulnerabilidade

Ação integra o programa Territórios pela Paz (TerPaz) e será implantada em 7 bairros da Região Metropolitana de Belém e em 3 municípios do sudeste do estado

14/04/2021 14h08 - Atualizada em 14/04/2021 17h22

Secretário de Justiça e Direitos Humanos, Zé Francisco coordena a reunião que ampliará a participação da Sejudh nas ações do TerPazNa manhã desta quarta-feira (14), representantes da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos e da Secretaria Estratégica de Articulação da Cidadania discutiram o realinhamento e a ampliação das ações da Sejudh no programa estadual Territórios pela Paz (TerPaz), ainda em 2021, em Belém, Ananindeua, Marituba e no interior do Estado.

Na oportunidade, foram discutidas quais as atividades do Procon, vinculado à Sejudh, e da Coordenadoria de Integração de Políticas para as Mulheres, que articula políticas públicas para as mulheres em situação de vulnerabilidade social, serão inseridas nas Usinas pela Paz. 

O encontro contou com a participação do secretário de Justiça e Direitos Humanos, Zé Francisco; da diretora de Cidadania e Direitos Humanos, Verena Arruda; do diretor do Procon Pará, Eliandro Kogempa; da diretora administrativa e financeira, Maria de Fátima Peixoto; do diretor jurídico, Tiago Brito; e o coordenador do Núcleo de Relações Institucionais da Seac, Júlio Alejandro Quezada Jélves.

USINAS DA PAZ

Coordenado pela Secretaria Estratégica de Articulação da Cidadania (Seac), o projeto consiste na construção de 10 Usinas no Estado, sete nos bairros atendidos pelo TerPaz, na Região Metropolitana de Belém, e em mais três cidades da região sudeste do Estado (Parauapebas, Canaã dos Carajás e Marabá).

As obras são executadas em parceria com as empresas Vale e Hydro, que estão arcando integralmente com os custos. O governo não receberá nenhum recurso econômico, mas receberá as Usinas prontas e equipadas.

Dentre os espaços estão os complexos esportivos, salas de audiovisual, espaços de inclusão digital e vários serviços, como atendimento médico e odontológico, consultoria jurídica, emissão de documentos, ações de segurança, atividades profissionalizantes, espaço multiuso para feiras, eventos e encontros da comunidade. Também haverá espaços para cursos livres e de dança, artes marciais, musicalização e biblioteca.

A previsão é que seja entregue quatro unidades ainda este ano, nos territórios da Cabanagem, Icuí, Nova União e em Parauapebas.

Por Gerlando Klinger (SEJUDH)