Com apoio da Emater produtores de Gurupá têm acesso a fomento para atividades rurais

19/03/2021 14h20 - Atualizada em 19/03/2021 15h47

A primeira parcela dos recursos do Programa de Fomento das Atividades Produtivas Rurais, do governo federal, para as atividades rurais, que somam mais de R$ 30 mil já está sendo liberada para 24 produtores rurais das comunidades quilombolas do município de Gurupá. No total, serão atendidas 50 famílias de produtores. A ação envolve as esferas públicas municipal, estadual e federal, como explica o chefe do escritório local da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará ( Emater), Ted Quemel da Fonseca.

“Se trata de um acordo cooperação entre Emater, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e Ministério da Cidadania, numa ação do governo federal para o atendimento às famílias em situação de extrema pobreza. Essas famílias estão cadastradas no Cadúnico. Nós, da Emater, selecionamos aqueles que se enquadram por terem atividades produtivas rurais e a prefeitura de Gurupá colaborou com apoio logístico para a realização das reuniões e nas etapas de organização da documentação”, explica Ted Quemel.

Os agricultores familiares selecionados participaram de reuniões de esclarecimento sobre o que é o fomento, e com o apoio da prefeitura a Emater realizou a coleta de documentos, a orientação para a assinatura de contrato de adesão e elaboração dos projetos.

As primeiras famílias que estão tendo a liberação do recurso residem em áreas quilombolas de terra firme, como as comunidades Gurupá Miri, Jocojó, Maria Ribeira, Nossa Senhora da Conceição do Rio Pucuruí.

“Esses recursos devem fomentar atividades de criação de pequenos animais, como galinha e suínos, limpeza de roçado de mandioca, reforma de casa de farinha, entre outros”, enumera o chefe local.

O agricultor Janisson Lacerda foi um dos beneficiados pelo recurso e já recebeu a primeira parcela no valor de R$1,4 mil. Ele pretende investir tudo em seu aviário, para tentar retomar a produção de galinhas, prejudicada pelos altos custos de insumos.

“Com essa pandemia eu tinha parado de criar frango, pois eu não estava conseguindo manter as aves com o custo da ração em alta. O fomento é o apoio para retomar a criação”, afirma o produtor.

As famílias atendidas já são acompanhadas pela Emater de Gurupá há aproximadamente 10 anos com a emissão de Declaração de Aptidão ao Pronaf, elaboração de projetos, cursos de manejo de açaí, entre outras atividades. A expectativa é que até agosto o recurso seja liberado para outras 26 famílias de agricultores, totalizando 50 beneficiados.

Atualmente, o escritório local da Emater em Gurupá atende por ano a cerca de 300 produtores, das mais diversas atividades como agricultores, extrativistas, piscicultores e pecuaristas, elaborando proposta de financiamento, dando acompanhamento técnico e promovendo cursos em diversas áreas.

Entre as áreas de produção que se destacam no município estão o extrativismo, a pesca artesanal e a agricultura de subsistência, especialmente a produção de mandioca e fabricação de farinha.

Por Etiene Andrade (EMATER)