Protocolo de intenções garante recursos ao Estado por meio de fomentos do BASA

08/03/2021 16h07 - Atualizada em 08/03/2021 18h52

O Pará vai receber R$ 3 bilhões em fomento para serem aplicados nos setores da economia por meio de incentivos do Banco da Amazônia (BASA). O protocolo de intenções entre o Governo do Pará e o Banco foi celebrado nesta segunda-feira (8), durante webconferência, com a presença do governador do Estado Helder Barbalho, o presidente do BASA, Valdecir Tose, o Superintendente do Basa, Edmar Bernaldino, e a superintendente da Sudam, Louise Caroline Campos Low. O encontro teve como objetivo apresentar o plano de aplicação de recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Norte (FNO), da carteira comercial da instituição e demais fontes de fomento do Banco.

"O BASA é um patrimônio da Amazônia e dos paraenses. É uma instituição de fundamental importância e que representa os principais pilares da política de desenvolvimento do nosso Estado, portanto, ele cumpre um papel muito importante, que é de fortalecer as oportunidades do Estado para gerar emprego e renda. Ressalto aqui também a importância do FNO para criar oportunidades de financiamentos que impactam diretamente na agenda de desenvolvimento local", destacou o governador Helder Barbalho durante a webconferência.

Aos participantes da webconferência, o chefe do Executivo Estadual destacou que o Pará, mesmo diante da pandemia, apresentou saldo positivo no Produto Interno Bruto (PIB) de 1,7% em 2020, superando a alta de 2019, que foi de 1,6%, isso diante de um cenário de queda histórica de 4,1% do PIB nacional. "O Estado do Pará, hoje, festeja, diante de um momento tão adverso, o saldo positivo do nosso PIB. Fomos um dos poucos estados da federação que conseguiu isso, e certamente, se não fosse o apoio do BASA, esses números não seriam possíveis. É nessa convergência de ações, de políticas do BASA, Sudam, Governo do Estado e diversas outras entidades setoriais que o Estado caminha para o desenvolvimento", completou Helder.

Balanço - De acordo com o BASA, no ano de 2020, o Pará teve a  maior aplicação de crédito de fomento, movido principalmente por sua economia diversificada, o que motivou a aplicação de recursos 41% acima do orçamento previsto para 2020. Foram aplicados mais de R$ 4 bilhões no Estado. Os setores do agronegócio, infraestrutura, além das linhas de crédito emergenciais de capital de giro, voltadas para empresas paraenses, foram os setores mais beneficiados. Para este ano, estão previstos investimentos de R$ 2.992,48 bilhões no Estado.

"O Estado do Pará é um local de oportunidades, é diferente de todos os outros estados da Amazônia e queremos colocá-lo no rumo da retomada econômica. Nossa ideia, por meio de uma parceria público-privada, é poder oferecer recursos públicos para impulsionar mais emprego e renda na região", enfatizou o presidente do BASA, Valdecir Tose, durante a transmissão.

Na oportunidade, o presidente do BASA apresentou ainda as novas linhas de crédito para o Estado. A novidade deste ano serão linhas voltadas para a sustentabilidade como o FNO Amazônia Rural Verde, cujo objetivo é estimular e diferenciar a finalidade de crédito para fomentar a economia e ao mesmo tempo reforçar o compromisso socioambiental da região.

Para a presidente da Sudam (Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia), Louise Caroline Campos Low, a reunião foi importante para tornar público o investimento das ações do BASA e mostrar para sociedade as políticas de atuação do Banco. "Este é um momento importante não só para mostrar a atuação do BASA, mas também tornar público estes números, de maneira transparente para sociedade. As pessoas precisam conhecer como o FNO funciona e a importância que ele tem na vida dessas pessoas. Também precisamos expandir a nossa consciência em relação a região amazônica, proteger a floresta, mas não esquecer que também precisamos de desenvolvimento na região por meio de políticas públicas de investimentos", ressaltou. 

Ao final da transmissão, o governador Helder Barbalho e o presidente do BASA, Valdecir Tose, assinaram o protocolo de intenções que garante o repasse pelo Banco de R$ 3 bilhões em fomento para serem aplicados nos setores da economia paraense como agronegócio, indústria e serviço e investimentos na infraestrutura.

Em respeito aos protocolos de prevenção da COVID-19 e o novo bandeiramento do Estado, o encontro foi realizado online e transmitido via Youtube. O evento também contou com os representantes da Assembleia Legislativa, Sebrae, governos municipais e entidades classistas.

Por Bruno Magno (CPH)