Polos do TerPaz passam a atender casos leves e moderados de Covid-19

Neste sábado, os atendimentos já foram assegurados nos bairros do Jurunas e Icuí. Amanhã, domingo (7), será a vez de Cabanagem e Guamá.

06/03/2021 16h02 - Atualizada em 06/03/2021 16h10

Polos do Programa Territórios pela Paz (TerPaz), agora, atendem pessoas com suspeitas de Covid-19, com sintomas leves e moderadosNeste sábado (06) polos do Programa Territórios pela Paz (TerPaz) começaram a atender pessoas com suspeita de Covid-19, a partir do aparecimento de sintomas leves e moderados. A iniciativa visa a distribuir o fluxo das Policlínicas Itinerantes, levando profissionais de Saúde para mais próximos da comunidade nas periferias. Jurunas e Icuí foram os bairros contemplados neste primeiro dia. Amanhã, domingo (7), será a vez de Cabanagem e Guamá.

De acordo com a coordenadora das Policlínicas Itinerantes, Alessandra Amaral, a estratégia foi pensada observando a demanda nas unidades do Hangar; Núcleo de Esporte e Lazer; e Mangueirinho. “Verificamos que todos os atendimentos ofertados (300 no Hangar; 250 no NEL; e 250 no Mangueirinho) têm sido feitos diariamente com todas as fichas que oferecemos. A procura tem sido intensa, resolvemos modificar o perfil do Ter Saúde e atender também Covid-19, para casos leves e moderados em todos os territórios”, afirmou a coordenadora.

O Ter Saúde é o atendimento assistencial ofertado pela Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) até então nos polos do TerPaz. A comunidade foi informada por meio dos canais de comunicação do programa e desde antes da abertura dos portões, já havia pessoas em fila.

A universitária Taynara Pantoja, 21 anos, procurou o serviço logo cedo na Escola Estadual Arthur Porto, no bairro do Jurunas. “Comecei a ter sintomas gripais, tosse há umas duas semanas. Mas não consegui fazer o teste porque já tinha passado o período do vírus ativo, mesmo assim voltei e trouxe minha tia que mora perto”, contou Taynara.

A tia dela é Tatiane Silva, 43 anos, que teve contato com caso suspeito na família e apresenta sintomas há três dias. “Já tive Covid em abril do ano passado, mas agora com esses sintomas é possível que seja de novo. Já fui atendida e orientada a observar os sintomas e tomar a medicação. O atendimento foi muito bom, rápido, gostamos”, disse a autônoma.

A capacidade de consultas é para 80 pessoas por dia, mas foi estendida para 100 diante da procura. “No primeiro dia, tanto no Jurunas, quanto no Icuí, avaliamos que há a necessidade de continuarmos a levar esses serviços para mais próximo da população. Estamos fazendo palestras educativas e preventivas, demonstrando como devemos evitar o contágio, com o uso do álcool gel, lavando as mãos, uso das máscaras, então estamos levando um serviço humanizado com a equipe da Sespa”, acrescentou Alessandra.

Do lado de fora da escola não era raro ver pessoas aglomeradas e sem máscaras. “Só nós não vamos vencer essa batalha, as pessoas precisam adotar as medidas de proteção. O governo já está fazendo além da sua parte de orientar e fiscalizar e desde abril de 2020 o Estado oferece atendimento ambulatorial para dar suporte aos municípios”, ponderou Marilda Braga, coordenadora da rede local do TerPaz, representando a Sespa.

No espaço só entravam pessoas com máscara, que estavam sendo distribuídas. Casos suspeitos passavam por triagem na enfermaria, atendimento médico e realização de teste NT-PCR, quando necessário.

SERVIÇO

Domingo (07/03)

Cabanagem

Hora: 08h - 13h.

Local: Escola José Valente Ribeiro/ Estrada do Benjamin, s/n.

Guamá

Hora: 08h - 13h.

Local: Escola Barão de Igarapé-Miri/ Rua Barão de Mamoré, nº 767. Entre Barão de Igarapé-Miri e Passagem Silva Castro.

Por Dayane Baía (SECOM)