Fundação Santa Casa forma mais uma turma de residência médica e multiprofissional

Os 59 profissionais de saúde se somam aos mais de 600 que já passaram pelos programas de residência da instituição

25/02/2021 20h27 - Atualizada em 26/02/2021 01h21
Por Helder Ribeiro (SANTA CASA)

A turma foi formada por 43 médicos e 16 profissionais da residência multiprofissionalQuarenta e três médicos e 16 profissionais da residência multiprofissional receberam nesta quinta-feira (25) suas certificações como especialistas na área de saúde, em solenidade no auditório da Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará.

O presidente da Fundação Santa Casa, Bruno Carmona, destacou o apoio do governo do Estado para o programa de residênciaO presidente da instituição, Bruno Carmona, destacou a importância da residência médica e multiprofissional para a saúde pública, e o apoio do governo do Estado, por meio da Secretaria de Saúde Pública (Sespa). “Mais uma vez a Santa Casa de Misericórdia do Pará está entregando profissionais formados em grau de especialistas na área da saúde. Isso ocorre porque a gente consegue garantir para a nossa população profissionais formados na nossa realidade, no mais alto grau da formação. Considerando o cenário de pandemia que ainda vivemos, isso é fundamental. Obviamente que isso não seria possível sem o apoio do governo do Estado e da Sespa, para que a gente continue o atendimento normal à população e formando profissionais, para que deem continuidade ao atendimento nos próximos anos”, disse o gestor na solenidade.

A diretora de Ensino, Pesquisa e Extensão da Fundação Santa Casa, Lena Alencar, também frisou o papel da residência multiprofissional e médica. “É importante ter profissionais de saúde qualificados atendendo a população. E é justamente a capacitação de novos profissionais que permite isso. Quando a gente consegue especializar pessoas e entregar para a sociedade, estamos trazendo mais qualidade, segurança e conforto para o paciente, e consequentemente para a sociedade”, reiterou Lena Alencar.O residente Ewerton Vilarino destacou a importância e os desafios da formação

A especialização é um período crucial na vida de qualquer profissional, enfatizou o residente Ewerton Vilarino, acrescentado que “todos devemos passar por esse processo. É um pouco difícil, mas extremamente importante. A gente cresce muito. Não consigo mensurar o quanto eu aprendi, e hoje tô muito feliz por receber o título de cirurgião. Agora vou seguir em frente na minha carreira, fazendo o bem para as pessoas”.

Décadas de qualificação - A Santa Casa de Misericórdia do Pará é referência na área de saúde materno-infantil, e tem em seu quadro mais de 400 profissionais da área médica em atividade, sendo que a maioria (77%) está lotada nos serviços de pediatria, neonatologia e tocoginecologia (maternidade).

No Pará, o primeiro Programa de Residência Médica, em pediatria, foi instituído em 1977, credenciado pela Universidade Federal do Pará (UFPA) e realizado no hospital da Santa Casa. Durante muitos anos, o hospital mais antigo do Estado foi o único campo de prática da Faculdade de Medicina da UFPA.A diretora de Ensino, Pesquisa e Extensão, Lena Alencar, falou sobre o papel da residência multiprofissional e médica

Em 1986, por meio da Resolução nº 1.316, a então Santa Casa de Misericórdia do Pará, em parceria com a UFPA, iniciou a residência médica em clínica médica. Mais de 600 profissionais já passaram pelos programas de residência oferecidos pela instituição, e as áreas que mais formaram especialistas foram pediatria, clínica médica, ginecologia e obstetrícia.

Atualmente, são mantidos 13 programas de Residência Médica e Multiprofissional na Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará, todos aprovados pelo Ministério da Educação (MEC). A instituição oferta 61 vagas, e neste ano formará mais 59 profissionais nas especialidades anestesiologia, cirurgia pediátrica, clínica médica, ginecologia e obstetrícia, medicina intensiva pediátrica, nefrologia pediátrica, neonatologia, pré-requisito em área cirúrgica básica no Brasil, radiologia e diagnóstico por imagem, enfermagem, farmácia, fisioterapia, nutrição, psicologia e terapia ocupacional.