Representantes da Segurança Pública acompanham investigações em Mãe do Rio

Efetivo foi reforçado no município, que registrou seis mortes na noite de ontem (24)

25/02/2021 14h33 - Atualizada em 25/02/2021 15h26
Por Evaldo Júnior (PC)

Cerca de 100 agentes da segurança pública do Estado reforçam a segurança no município de Mãe do Rio, nordeste do Pará, por tempo indeterminado. Equipes das polícias Civil e Militar apuram as circunstâncias da morte de seis pessoas, ocorridas na noite de ontem (24) na cidade. Diligências estão sendo feitas na região por guarnições das PMs, Ronda Tática Metropolitana (Rotam), e a Coordenadoria de Recursos Especiais (Core, da Polícia Civil).

“Os gestores da segurança pública vieram até Mãe do Rio para garantir o reforço policial e para dar uma resposta o mais rápido possível sobre esse lamentável fato. Nós queremos garantir a população do Estado como um todo, de que fatos dessa natureza são inadmissíveis nessa gestão e que todas as ocorrências tiveram uma resposta rápida e eficiente”, reforçou Ualame Machado, secretário de segurança pública do Pará, ressaltando que os agentes chegaram ao município ainda na madrugada desta quinta-feira (25).

Peritos do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves (CPC) retornaram aos três locais onde as ocorrências foram registradas. O objetivo foi fazer um novo levantamento de local de crime em busca de novas evidências que possam ajudar na solução do inquérito.

“Os núcleos do CPC nesses dois municípios estão dando apoio desde as primeiras horas da manhã. As nossas equipes estão tirando todos os elementos balísticos e fazendo todas as perícias complementares para dar suporte nas investigações da Polícia Civil”, afirmou o diretor do CPC, Celso Mascarenhas.

Além do diretor geral do CPC, também esteve na cidade o Delegado Geral de Polícia Civil, Walter Resende e o Comandante Geral da PM, Dilson Júnior. A comitiva chegou à cidade com apoio do Grupamento Aéreo do Pará (Graesp).

De acordo com as primeiras investigações, duas, das seis vítimas, já tinham passagem pela polícia por crimes de furto e tráfico, e estavam sendo monitoradas por tornozeleira eletrônica. Nesta manhã, testemunhas e parentes das vítimas foram ouvidas pelas equipes da delegacia de Polícia de Mãe do Rio. O delegado Geral de Polícia Civil, Walter Resende, acompanhou o trabalho de perto:

“O que a gente tem hoje, em mãos, são depoimentos e a perícia realizada no local. Nossa equipe certamente esta percorrendo as áreas da cidade em busca de filmagens, colher informações, vincular fatos recentes ocorridos aqui, principalmente homicídios e tráficos de drogas, para que a gente possa ao final poder definir a materialidade e a autoria do crime,” acrescentou o Delegado-Geral da Polícia Civil, Walter Rezende. 

Equipes da Polícia Militar do Estado continuarão na cidade para dar apoio as equipes locais. “De imediato, deslocamos uma equipe de Paragominas para reforço, também deslocamos de Belém equipes da Rotam para reforço em Mãe do Rio, além da guarnição da corregedoria de Paragominas e inteligência, para justamente somar esforços com a Polícia Civil para que no menor espaço de tempo possamos elucidar esses crimes, identificar os autores e os mandantes”, afirmou o Cel Dilson, Comandante Geral da Polícia Militar do Pará. 

Crime – As mortes foram cometidas no bairro Novo Horizonte, área periférica da cidade. Uma das vítimas chegou a ser socorrida e levada para o hospital do município, mas não resistiu aos ferimentos de arma de fogo. De acordo com testemunhas, os criminosos estavam encapuzados em dois carros e atiraram contra as vítimas, que estavam em três pontos do bairro Novo Horizonte.

*Com colaboração de Bruna Brabo (Secom)