Hemorrede comemora as 7.850 bolsas de sangue coletadas no mês do doador

04/12/2020 14h07 - Atualizada em 04/12/2020 17h21
Por Anna Cristina Campos (HEMOPA)

Mês de novembro é sempre marcado pelas homenagens ao doador voluntário de sangue. E o de 2020 foi especial. Apesar de todos os desafios impostos pela pandemia, os paraenses mostraram que são generosos e compareceram às unidades de coleta da Fundação Hemopa pelo Estado para cumprir com o papel social de doar um pouco de esperança aos pacientes que precisam de transfusão. Foram 9.269 comparecimentos, das quais 7.850 estavam aptas e puderam doar.

Uma bolsa de sangue pode beneficiar até quatro pacientes. Neste sentido, o estoque da Fundação está abastecido para ajudar mais de 31 mil pessoas em toda a rede hospitalar pública e privada que recebe assistência do Hemopa.

“Trabalhamos todos os dias com o objetivo principal de não deixar faltar uma bolsa de sangue para quem tanto precisa para sobreviver. Temos que agradecer a cada servidor, a cada voluntário e parceiro da doação pelo envolvimento com a causa neste ano de pandemia. Não está sendo fácil para ninguém, mas com amor ao próximo e dedicação, estamos superando os desafios”, ressaltou Paulo Bezerra, presidente da Fundação Hemopa.

Em todas as regiões, a Fundação Hemopa contou com o apoio de dezenas de Caravanas Solidárias que foram até as unidades de coleta. Até mesmo caravanas de município em que não existe uma unidade do Hemopa, se deslocaram para marcar presença. Como foi o caso do Hemonúcleo de Capanema que contou com grupos voluntários de Salinópolis, Primavera, Tracuateua e Bragança. 

Na região sudeste, o Hemocentro Regional de Marabá também teve um número expressivo de coletas: 735 bolsas de sangue reforçaram o estoque. “Agradeço a todos os doadores de sangue que através de um ato de solidariedade, transformam vidas e renovam esperanças. Parabéns pelo Dia Nacional do Doador Voluntário de Sangue! Você é a esperança de muitos!”, agradeceu Regiane Izaias, gerente do Hemopa, em Marabá.

Marabá

O atendimento transfusional é ininterrupto e por isso a necessidade de hemocomponentes é diária. Neste sentido, a Fundação Hemopa está sempre em busca de pessoas que tenham o sentimento de amor ao próximo e hábitos saudáveis para poder doar sangue. Além disso, é preciso estar dentro dos critérios básicos:

- Ter entre 16 e 69 anos (menores de idade devem estar acompanhados do responsável legal);
- Pesar acima de 50 kg;
- Estar em boas condições de saúde e bem alimentado;
- Apresentar um documento de identificação oficial, original e com foto (RG, CNH, Passaporte ou Carteira de Trabalho).

Neste período de pandemia, também foram incluídos critérios para quem teve Covid-19. É necessário esperar 30 dias após a cura para doar. E quem teve contato com pessoas que tiveram Covid-19, deve esperar 14 dias após o último contato.