Governo vai priorizar em 2021 os trâmites para construção do Parque da Cidade

Enquanto aguarda a liberação da área pelo Ministério da Infraestrutura, o Estado vai agilizar a licitação e concepção do projeto executivo

12/11/2020 19h30 - Atualizada em 12/11/2020 20h50

O Governo do Pará confirmou nesta quinta-feira (12) que em 2021 resolverá todo o trâmite burocrático, como licitação e concepção do projeto executivo, do grande complexo de turismo, cultura e lazer “Parque da Cidade”, em Belém, para que as obras sejam liberadas logo no início do ano seguinte. De acordo com o governador Helder Barbalho, a meta é ganhar tempo enquanto a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) faz as adaptações do Aeroporto Internacional de Belém, em Val-de-Cans, necessárias à transferência das atividades do Aeroporto Brigadeiro Protásio de Oliveira, cujo terreno será totalmente transformado e revitalizado pela maior intervenção urbanística na capital paraense do último século.A área do atual Aeroporto Brigadeiro Protásio será transformada em um grande complexo de turismo, cultura e lazer para a população

Na quarta-feira (10), um Acordo de Cooperação Técnica para viabilizar a execução do Parque da Cidade foi assinado em Brasília (DF), pelo governador do Pará e o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas. A secretária de Estado de Cultura, Ursula Vidal, e o conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, Nelson Chaves, também participaram da audiência na capital federal. Helder Barbalho informou que deverá repassar R$ 15 milhões para a Infraero, a fim de viabilizar a transferência do Aeroporto Brigadeiro Protásio.

Com extensão equivalente a 120 campos de futebol, o terreno fica nos limites dos bairros do Marco, Souza, Sacramenta e Pedreira, e será todo modificado, a partir de um conceito de uso democrático e inclusivo, considerando as dinâmicas de práticas culturais, esportivas e de lazer da população.

"Minha gratidão por terem encampado essa ideia. E a partir desta assinatura, vamos cumprir não só a etapa que envolve o repasse de recursos à Infraero, mas inclusive aproveitar este período de adaptação para fazer projeto executivo, licitação, enfim, para quando o Governo Federal nos der a autorização, a gente comece as obras imediatamente", informou o governador.

O ministro Tarcísio Freitas, por sua vez, destacou a importância da iniciativa. "A gente encampou sem ver, e agora que estávamos vendo, confirmo que acertamos muito. Sensacional o que está sendo projetado. A concepção é muito feliz com a preservação de elementos do que foi o primeiro aeroporto de Belém. Sem contar que Val-de-Cans tem muita capacidade para absorver essa demanda, embora a gente saiba que é um aeroporto que vai crescer muito em breve, mas que hoje pode dar conta", avaliou o ministro. "Helder realmente se mostra um grande gestor por ter pensado nisso há tanto tempo, e vamos acelerar para que seja entregue o espaço, e o quanto antes as obras possam ser iniciadas", acrescentou Tarcísio Freitas.

Projeto participativo - A secretária de Estado de Cultura, Ursula Vidal, destacou que o Parque da Cidade já nasce como um projeto participativo, uma diretriz definida pelo governador do Estado desde o início. "O que significa que teremos algo desejado pela população, com os equipamentos que as pessoas querem, com o espelhamento das práticas culturais que as pessoas querem", reforçou.

A secretária confirmou que, durante a reunião, foi apresentada também a proposta para a segunda etapa do Porto Futuro, espaço de lazer já aberto ao público em Belém.

Para o conselheiro Nelson Chaves, a concretização do Parque da Cidade é um ganho para todos, sem exceções. "Quando ainda ministro da Integração Nacional, Helder iniciou o Porto Futuro, que já é um sucesso, mesmo sem oferecer tudo o que ainda é possível. E agora o Parque, que fará um bem a todo mundo. Belém precisava disso, e estou encantado com um projeto tão importante para toda a região, e em uma área de extrema importância", declarou o membro do TCE, que é idealizador do projeto inicial de ressignificação da área do Aeroporto Brigadeiro Protásio, criado há mais de 30 anos.

Por Carol Menezes (SECOM)