Campanha de vacinação contra poliomielite será prorrogada até 30 de novembro

Meta de vacinação não foi alcançada pelos municípios paraenses

29/10/2020 14h59 - Atualizada em 29/10/2020 15h04
Por Caroliny Pinho (SESPA)

Devido à baixa procura e cobertura vacinal contra a poliomielite, o governo estadual, por meio da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), pediu ao Ministério da Saúde a prorrogação da campanha de vacinação contra a doença até o dia 30 de novembro. Em nível nacional, a campanha, até o momento, alcançou 39,18% da meta de vacinação, o que corresponde a 4.419.000 crianças entre 1 e 4 anos. No Pará, o número é ainda menor, pois, até o momento, apenas 24,8% do público-alvo foi vacinado. 

“Pretendemos, com o apoio do Ministério da Saúde, estender a nossa campanha de vacinação contra poliomielite durante o mês de novembro. O período oficial da campanha seria até o dia 30 de outubro, mas no estado do Pará, considerando que estamos aquém da meta de crianças a serem vacinadas, foi necessário estender e alinhar com os municípios para que possamos intensificar as ações de vacinação”, explica Bruno Pinheiro, Diretor do departamento de epidemiologia da Sespa. 

O município paraense com a maior cobertura vacinal é Santarém Novo, com 81,95% e o que apresenta menor índice é Breves, no arquipélago do Marajó, com apenas 4,4%. A meta é vacinar pelo menos 95% do público-alvo e para isso devem ser ampliadas as bancadas de vacinação e os horários de atendimento, já que muitas unidades de saúde não tem atendido em horário integral, o que dificulta a ida de pais e responsáveis que trabalham o dia inteiro. 

Vale ressaltar que a vacina ainda é a melhor forma de prevenir cerca de 18 doenças, entre elas a poliomielite. Ainda assim, o medo de possíveis reações físicas, o movimento anti-vacina e a própria pandemia do novo coronavírus, tem afastado o público das salas de vacinação.

“A vacinação durante todas as campanhas desenvolvidas durante este ano, não só a de poliomielite, ficou comprometida devido à insegurança da população de procurar um serviço de saúde quanto a sobrecarga de trabalho nas unidades de saúde que é onde acontecem as vacinações. Todas as unidades de saúde com salas de vacina estão abastecidas com vacinas e insumos prontas para atender a população”, afirma Bruno Pinheiro. 

Poliomielite – A poliomielite, também conhecida como paralisia infantil, é uma doença viral transmitida por água e alimentos contaminados. Qual a doença não é letal acaba deixando danos neurais que comprometem a força muscular e afetam diretamente a locomoção do paciente. 

Campanhas prorrogadas – O Estado também vai prorrogar, até o dia 30 de novembro, a vacinação indiscriminada para pessoas entre 20 e 49 anos contra sarampo. A meta é vacinar 3.485.894 pessoas, mas até o momento foram vacinadas apenas 24% deste total, o que corresponde a 826.783 pessoas.