Emater estimula a comercialização da produção da agricultura familiar

Projeto Vitrine Artesanal de Produtos Agroecológicos envolve 87 famílias produtoras do Estado e elimina a figura do atravessador

29/10/2020 13h24 - Atualizada em 29/10/2020 15h06
Por Giovanna Abreu (SECOM)

Consumidor aproveitou a oportunidade de adquirir produtos de qualidade com preço justo, a exemplo de hortaliças, frutas, peixesA 19ª edição da Feira da Agricultura Familiar, promovida pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará (Emater),na manhã desta quinta-feira (29), estimulou a comercialização de produtos resultantes do trabalho de 20 famílias paraenses. O evento ocorreu na área externa do escritório central da Emater, em Marituba, na Região Metropolitana de Belém.

Segundo a presidente da Emater, Cleide Amorim, a Feira itinerante é uma vitrine para produtores e artesãos do Pará, de forma a incentivar a economia local. A iniciativa reduz o espaço entre a produção e comercialização.

“Quando você consegue colocar o produto direto da fonte para ser comercializado, além de aproximar clientes, é possível oferecer produtos naturais, sem manipulação, com mais qualidade e preços justos”, ressalta.

Com o objetivo de melhorar a renda das famílias e comunidades produtoras, mantendo a sustentabilidade ambiental e multiplicando técnicas artesanais e empreendedoras, a Feira itinerante faz parte do Projeto Vitrine Artesanal de Produtos Agroecológicos, que envolve 87 famílias produtoras do Estado.

"Eu aprecio muito produtos da economia local, precisamos mesmo valorizar o que é nosso'', disse o autônomo Orni SantosO autônomo Orni Santos, que participou pela primeira vez da programação da Emater, aprovou a iniciativa e se encantou com os produtos regionais. 

“Eu aprecio muito produtos da economia local, precisamos mesmo valorizar o que é nosso. A qualidade dos produtos que encontrei aqui merecem nota 10, estão de parabéns. Espero vir novamente”, afirma.

“É muito bom ter esse apoio. Oito famílias de Santa Bárbara participam desse projeto'', afirmou a produtora Maria SofiaForam disponibilizados pelos agricultores uma variedade de produtos de hortifruti, hortaliças, mel, doces e compotas, licores, bombons regionais, peixes, polpas de frutas, gastronomia regional, plantas ornamentais, ecojoias, crochê, artesanatos e reciclados.

Todas as medidas sanitárias recomendadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS), por conta da pandemia de Covid-19, foram cumpridas.

Nesta edição, participaram agricultores dos municípios de Ananindeua, Belém, Marituba e Santa Bárbara do Pará, da Região Metropolitana de Belém; Bragança, do nordeste; além de Soure e Ponta de Pedras, do arquipélago do Marajó.Feira da Agricultura Familiar reservou espaço para as plantas

SUSTENTABILIDADE

A artesã Daniely Farias participa desde março de 2019 das feiras itinerantes promovidas pela Emater. Os cuidados com o meio ambiente e a preocupação em entregar um produto sustentável aos clientes faz parte do dia a dia da profissional.

“É de extrema importância pra nós, produtores autorais e artesãos, o apoio da Emater. Garante mais visibilidade para o nosso trabalho, impulsiona a venda de produtos naturais, ecológicos, sustentáveis”, destaca. Daniely produz ecojoias utilizando bulas, caixas de remédios e papéis recicláveis.

“Queremos nossos clientes felizes e enfeitados, de forma consciente”, complementa.

SANTA BÁRBARA

Pela primeira vez, a família da produtora de hortifrutigranjeiro, Maria Sofia Silva, do Assentamento Abril Vermelho, em Santa Bárbara, participa da feira.

“É muito bom ter esse apoio para a nossa comunidade. Oito famílias de Santa Bárbara participam desse projeto. A Emater entendeu as nossas necessidades e nos dá a oportunidade de conseguir renda para a nossa família. Espero voltar nas próximas edições”, afirma.  

BRAGANÇA

Andréa Alves é produtora de mel e representou a comunidade da Pratinha, em Bragança, que há 15 anos tem assistência da EmaterA Comunidade da Pratinha, de Bragança, também marcou presença na 19ª edição da Feira da Agricultura Familiar da Emater. A produtora de mel, Andréa Alves, conta que a família bragantina recebe assistência técnica da empresa há 15 anos.

"O meu pai chama a nossa família de equipe multidisciplinar. São seis irmãos que trabalham unidos na produção. Claro que essa comercialização é muito importante para a nossa renda, mas o nosso objetivo não é vender por vender, queremos divulgar a nossa cultura, conscientizar a população da riqueza que nós temos e da importância da preservação ambiental”, explica.

PARCERIAS

A Emater atende produtores e artesãos dos 144 municípios paraenses. Famílias, grupos e comunidades produtoras interessadas devem procurar o escritório da empresa na sua localidade para receber a assistência e participar dos eventos.  

Segundo Sandra Filgueira, colaboradora do Projeto Vitrine Artesanal, a Emater firma parcerias com as iniciativas públicas e privadas, disponibilizando produtos da agricultura familiar e até mesmo feiras itinerantes para levar a estrutura do evento para o órgão ou empresa interessada, de forma a impulsionar a produção das famílias paraenses. Para mais informações, ligue (91) 98887-6155.

INCENTIVO

Nesta quinta-feira (29) também houve a 2ª Feira da Agricultura Familiar, promovida pela Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), em frente à sede do órgão, na travessa Lomas Valentina, 2.717, no bairro do Marco, em Belém. 

Nos dias 17 e 18 de outubro, a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap) realizou a Feira Livre do Produtor Rural, com produtos cultivados sem produtos químicos, como agrotóxicos.