Programação cultural marca reencontro de participantes do 'Cenas de Paz' no Benguí

As ações da Funtelpa no 'Territórios Pela Paz' também introduziu os jovens no fascinante mundo da comunicação

28/10/2020 20h10 - Atualizada em 28/10/2020 21h48
Por Carol Menezes (SECOM)

O sarau mostrou talentos e propiciou o reencontro dos participantes do Projeto Cenas de PazO sarau "Juventude em Cena" marcou o reencontro de cerca de 100 jovens participantes do Projeto "Cenas de Paz", realizado pela Fundação de Radiodifusão do Pará (Funtelpa), dentro do programa estadual de promoção da cidadania Territórios Pela Paz (TerPaz). Durante a programação, realizada na Escola Maria Luiza da Costa Rego, no bairro do Benguí, em Belém, na tarde desta quarta-feira (28), eles apresentaram trabalhos produzidos durante as oficinas do projeto, que foram interrompidas em março, por causa da pandemia de Covid-19.A oficina de Comunicação Integrada ofereceu conhecimento sobre audiovisual, rádio, web e televisão

Além de apresentação musical dos alunos, houve exibição de quatro curtas produzidos pelos participantes, debate sobre os temas dos curtas exibidos, apresentação de dança e recreação. No âmbito do “Fala Aberta”, eles relataram a experiência de participar do projeto, que já passou pelos bairros Cabanagem e Benguí, em Belém; no Icuí-Guajará, em Ananindeua, e Nova União, em Marituba.Lívia Oliveira aprovou a oficina e o reencontro com os colegas

Estudante da Escola Estadual Cônego Batista Campos, na Cabanagem, Lívia Oliveira, 17 anos, participou de uma oficina sobre Comunicação Integrada, envolvendo audiovisual, rádio, web e televisão. "Foi incrível, não tenho palavras para dizer a importância disso na minha vida. Me abriu novos horizontes. Já tinha muita vontade de trabalhar com comunicação, e esse foi o empurrão que eu precisava", contou ela, que também comemorou a oportunidade de reencontrar os colegas depois de tantos meses de afastamento. "Estava com muita saudade de todos, e vou continuar participando de qualquer oficina que tiver", adiantou.

O secretário-adjunto Raimundo Santos Júnior frisou que o acesso à cultura é um direito constitucionalSecretário adjunto da Secretaria de Estado de Articulação e Cidadania (Seac), órgão responsável pela execução do TerPaz, Raimundo Santos Júnior também ressaltou a importância da parceria com a Funtelpa. "Estamos muito felizes com essa programação, com a possibilidade dos valores atribuídos às vidas desses adolescentes, de tudo que temos alcançado nesse trabalho conjunto. O acesso à cultura é um direito constitucional, que nem sempre é concretizado. O 'Cenas de Paz' nos ajudar a garantir isso por meio de um programa de governo", reiterou.O presidente da Funtelpa, Hilbert Nascimento, destacou a importância do evento para a formação da juventude

Troca de experiências - O presidente da Funtelpa, Hilbert Nascimento, disse que a possibilidade de trocar experiências com os jovens é a melhor parte do projeto. "Para nós é uma honra muito grande poder exercer o serviço de compartilhar, passar conhecimento nosso para eles. E com isso dar o pontapé inicial para uma formação, seja na área da Comunicação ou em qualquer outra área, contanto que eles possam perceber que existe, sim, futuro, e existe, sim, progresso, desde que você estude, desde que você trabalhe", frisou o gestor, acrescentando que "é obrigação nossa. Eles são muito importantes para nós. É um projeto que veio para ficar, porque não deixa de ser também um celeiro de novos talentos. O 'Cenas de Paz' veio para nós como bênção, como presente".

Vanessa Vasconcelos, que dirige a TV Cultura do Pará, explicou que houve a necessidade de reunir quem fez as oficinas depois de sete meses de distanciamento total. "Queríamos que eles se conhecessem e interagissem, mostrassem o que eles desenvolveram em cada um dos Territórios. Como as escolas pararam, e era nesses espaços que eles participavam das oficinas, tudo parou. Então a expectativa pelo sarau era enorme", contou.

Potencial - "No 'Cenas de Paz' a gente percebeu o quanto eles se descobriram, e descobriram seus próprios potenciais de geradores de conteúdo, o quanto eles são importantes para as comunidades onde estão inseridos. Isso trouxe vários desdobramentos que não estavam incluídos no projeto inicial. Tivemos, por exemplo, a inserção deles dentro da transmissão do Parazão (Campeonato Paraense de Futebol) com o 'Cenas da Galera', a criação de um perfil no Instagram somente para atender casos de depressão, de suicídio, bem como a possibilidade deles atuarem no Jovem Aprendiz dentro da Funtelpa - já são três trabalhando conosco. O projeto cresceu, saiu da nossa alçada", informou Vanessa Vasconcelos.

O estudante Jonathan da Silva Ferreira descobriu na oficina sua identificação com a produção audiovisualAluno da Escola Estadual José Valente Ribeiro, também na Cabanagem, Jonathan da Silva Ferreira, 17 anos, queria ser digital influencer, por isso fez todas as oficinas que a Funtelpa ofereceu no bairro. Acabou se encantando pelo audiovisual. "É muito importante esse tipo de aprendizado, de graça, no meu bairro, uma coisa que a gente sabe que em outro lugar teria um custo elevado, e muita gente não teria condições de ter acesso. Uma iniciativa dessa na periferia é muito importante", garantiu.