Procuradoria retoma programação da Feirinha da Agricultura Familiar

Vendas são abertas ao público e seguem até às 12h desta quinta, na sede do órgão, em Belém

08/10/2020 11h11 - Atualizada em 08/10/2020 11h42
Por Barbara Brilhante (PGE)

Produtores são do município de Santa Izabel do Pará, assistidos pela EmaterPescado, camarão rosa, hortaliças, frutas, legumes e sementes da Amazônia são comercializados nesta quinta-feira (8), durante a Feirinha da Agricultura Familiar, realizada pela Procuradoria-Geral do Estado (PGE), na sede do órgão, em Belém. As vendas são abertas ao público e seguem até às 12h, no estacionamento da Procuradoria, na Rua dos Tamoios, nº 1.671, no bairro de Batista Campos.

Tradicionalmente, nos últimos quatro anos, a feirinha passou a ser realizada uma vez ao mês, pelo Serviço Social da PGE, como forma de incentivar os pequenos produtores locais e levar ao consumidor produtos de qualidade, comercializados diretamente com o produtor. Mas, em decorrência do distanciamento social obrigatório, provocado pela pandemia do novo coronavírus, a programação foi suspensa e retomada nesta quinta-feira.

“Fazemos mensalmente, mas tivemos que suspender no período de pandemia, seguindo os protocolos. Além de darmos incentivo e ajuda financeira aos pequenos produtores, os consumidores podem ter acesso a produtos de qualidade. É importante dar este incentivo à agricultura familiar, porque a gente sabe que nem sempre eles têm este ponto fixo de venda. Estamos trazendo para dentro do órgão, onde há uma ótima aceitação. Assim incentivamos este serviço”, explicou Rosicleide Teodozio, assistente social da Procuradoria.

Segundo Naiara Barbosa, produtora de queijo do Marajó e manteiga de búfala, a feirinha é importante para divulgar o trabalho dos produtores. “Esta é a terceira vez que participo. A feira traz muito fluxo de venda, porque é possível que haja uma divulgação boca a boca, ainda mais neste período em que estamos conseguindo retomar às atividades. Então, não é em qualquer lugar que conseguimos ter esta abertura para vender nosso produto”, disse.

Os produtores são do município de Santa Izabel do Pará, assistidos pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater).